Vereadores do PPS de Cariacica desafiam partido e votam contra orientação da legenda

Os vereadores de Cariacica Paulo Assis (PPS) e Salvador Capaz (PPS) afirmaram que vão votar a favor da emenda que limita em 30% o valor de suplementação que o prefeito Helder Salomão (PT) pode usar sem pedir autorização à Câmara Municipal. Os vereadores votaram contra a emenda que reduzia de 40% para 3% essa suplementação na sessão desta quarta-feira (21) e foram advertidos pelo partido, com risco de serem expulsos da legenda.

O vereador Salvador Capaz acredita que as emendas de 3% e 4% de suplementação prejudicam o trabalho do Executivo. Segundo ele, o limite do valor deveria ser entre 15% e 20%. “Eu considero o limite de 40% muito alto. O certo seria entre 15% e 20%, como é todo ano. Entre todas as emendas propostas, eu voto na de 30%. É um pouco além, mas é necessário para o município trabalhar”, disse.

O vereador Paulo Assis apontou a emenda de 3% como uma forma de alguns vereadores chantagearem a prefeitura. “Eu concordo que a Câmara tem que ter um controle maior dos gastos, mas deve ser um controle digno. Não é aprovar 3% de suplementação para todo mês o prefeito ficar pedindo 3% e o vereador fazer chantagem com o município. É o que a gente vê dentro do município de Cariacica. Vereador em vez de fazer o papel dele que é representar o povo, é fazer média. Quase todos os vereadores fazem isso. Eu não faço porque represento a comunidade.”


Nesta quinta-feira (22), o presidente em exercício da executiva municipal do PPS, Rodrigo Ramos, disse que os vereadores serão orientados a votar favoravelmente a emenda que limita a autonomia do prefeito em 4%. Ele destacou que, se os vereadores descumprirem a orientação, vão responder por infidelidade partidária, podendo até mesmo ser expulsos da legenda.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Salvador Capaz afirmou que não votará a favor da emenda de 4% de suplementação. Ele ainda disse que se o PPS não respeitar a posição dele, pode expulsá-lo do partido. “Nós não estamos em um país de ditadura e tudo é discutido em um partido. Uma emenda de 4% de suplementação é pouco e eu não vou votar a favor dela. Eu tenho responsabilidade de fidelidade partidária, mas tenho  responsabilidade com 400 mil pessoas de Cariacica. O município não pode parar por interesse partidário ou por qualquer coisa que seja. Nós vamos discutir e essa é a minha opinião. Se quiserem me expulsar, podem me expulsar que não há problema.”

A necessidade do povo está acima da fidelidade partidária para o vereador Paulo Assis. “Eu quero deixar bem claro para o meu partido que na proposta de 3% e de 4% eu não voto. Eu voto na de 30%. Acima de qualquer partido político está a necessidade do povo e eu não votar contra a necessidade do povo. O partido tem que ficar em segundo plano e o povo em primeiro”, declarou.

A votação da emenda, dentro do Orçamento do município, ocorrerá na próxima terça-feira (27). O presidente da Câmara Municipal, vereador Adilson Avelina (PSD), suspendeu a sessão desta quarta-feira devido a confusão no local.

Consenso

O presidente do PPS de Cariacica, Rodrigo Ramos, disse nesta sexta-feira que os vereadores do partido vão se reunir na próxima semana para discutirem a votação da emenda. Ele afirmou que todos os argumentos serão analisados e o partido pode mudar a orientação aos vereadores. “O partido vai tentar fazer de tudo pra buscar o consenso dos vereadores”, disse.

Até a reunião dos parlamentares na próxima semana, o partido descarta a expulsão dos vereadores que afirmaram ir contra a orientação da sigla.