Quedas de barreiras, bairros isolados e milhares de pessoas afetadas pelas chuvas

Quedas de barreiras, bairros isolados e mais de duas mil pessoas fora de suas casas. Os alagamentos e a destruição pós as intensas chuvas que atingiram o Espírito Santo nesta quinta-feira (05) castigam moradores de 22 municípios do Estado segundo o último relatório divulgado pela Defesa Civil Estadual.

Segundo o boletim, quase 140 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas dos últimos dias e que caíram com mais intensidade nesta quinta, correspondendo a 80% do previsto para o mês de janeiro. Cinco municípios  já decretaram situação de emergência por causa das chuvas.

Moradores do bairro Castelo Branco em Cariacica estão isolados do restante da cidade depois que a ponte, que faz ligação com o bairro Valparaíso, cedeu na madrugada desta sexta-feira (6). O tráfego de veículos foi impedido, mas motociclistas e pedestres se arriscavam em passar por um estreito pedaço de asfalto que sobrou. Uma estrutura provisória será construída no local, de acordo com a prefeitura.

Em Viana, de acordo com a Defesa Civil do município, 200 pessoas estão desabrigadas e mil desalojadas. Estima-se que mais de cinco mil pessoas foram atingidas com a chuva. Até o final da manhã desta sexta-feira (6), 14 bairros estavam alagados e várias famílias tiveram que deixar as casas.

Um dos bairros mais afetados é Santo Agostinho. A Rua Francisco Costa Pimenta, a principal do bairro, formou um verdadeiro rio com a água da chuva parada. Algumas famílias abandonaram as casas como a faxineira Simone Freire da Costa, 27 anos. Ela teve que sair de casa com ajuda da mãe Maria Freire, 50 anos.

Em Vila Velha,  a situação não é diferente. Último balanço da Defesa Civil Estadual aponta que 1060 pessoas estão desalojadas e 20 desabrigadas no município. A Prefeitura chegou a pedir ajuda ao Exército na noite desta quinta-feira (05) para remover pessoas que estavam em locais alagados. Na manhã desta sexta, mesmo sem chuva, a situação ainda era crítica.

Vias como a avenida Luciano das Neves, Antônio Ataíde e Cabo Ailson Simões, e outras localizadas nas intermediações do Terminal de Vila Velha, estavam completamente alagadas no início da manhã. O trânsito ficou caótico. Motoristas, com medo de enfrentar as áreas alagadas, acabavam retornando pela contramão. O acesso à Terceira Ponte também ficou comprometido tanto por quem vinha de Coqueiral e Itapoã, passando pela Antônio Ataíde, como para quem passava pela Hugo Musso, na Praia da Costa.
Na Capital, além das ruas e avenidas que ficaram alagadas com a chuva desta quinta-feira, um barranco cedeu durante a madrugada desta sexta (06) perto da sede da Petrobras, na Reta da Penha, em Vitória. Uma parte da grade também foi levada e muita terra ficou na avenida.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

foto: Tiago Félix
Barranco despenca em frente a sede da petrobras
Barranco cedeu na sede da Petrobras, na Reta da Penha, em Vitória

Alerta de chuva forte

O Espírito Santo está em alerta por conta das fortes chuvas que atingem diversos municípios desde o início do ano. Após os transtornos do temporal do final da tarde desta quinta-feira (05) na Grande Vitória, o Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural) informa que a situação não deve melhorar no fim de semana. Pode ocorrer, inclusive, chuva de granizo.

Rios acima da cota de inundação

O nível do Rio Doce continua acima da cota de inundação no município de Colatina, Região Centro-Oeste do Espírito Santo. De acordo com a medição realizada às 9h desta sexta-feira (06), pelo Sistema de Alerta de Cheias do Rio Doce, o rio atingiu o índice de 675 cm, quantidade acima da cota de inundação que é de 520 cm.

O balanço parcial divulgado mostra que o nível do rio aumentou devido às chuvas que atingem o Espírito Santo e principalmente o Estado de Minas Gerais. Ainda de acordo com o boletim, a tendência é de que o nível do rio aumente e oscile em torno de 701 cm até às 15h.

Leia mais notícias no minuto a minuto
Ouça outras reportagens da Rádio CBN

Após o alerta de cheia do Rio Doce, agora a preocupação está com o Rio Santa Maria. De acordo com a Prefeitura de Colatina, o alerta se deve à forte chuva que atingiu a comunidade de Várzea Alegre, em Santa Teresa, na madrugada desta sexta-feira (06). O Rio Santa Maria é um dos principais afluentes do Rio Doce no Noroeste do Espírito Santo.

Na Grande Vitória, o nível do Rio Jucu, em Vila Velha, está cerca de três metros acima do normal. O município decretou situação de emergência nesta quinta.

De acordo com o secretário de Defesa Social de Vila Velha, Ledir Porto, as regiões da Grande Cobilândia e Jardim Marilândia, entre outros bairros vizinhos, são os pontos de maior preocupação por parte da prefeitura, devido à cheia do rio. A maior cota registrada pelo Rio Jucu, segundo Porto, foi em 2009, quando o nível ficou 3,5 metros do nível normal e quase rompeu o dique.

Queda de barreira em Pancas

A queda de uma barreira interditou a estrada que liga a sede de Pancas à comunidade de Vila Verde, na zona rural do município. O deslizamento foi provocado pela chuva que atingiu a região na noite desta quinta-feira (5). A água do rio que corta a cidade invadiu casas, além de ter deixado várias ruas lamaçadas. No local do deslizamento, a pista está interditada nos dois sentidos. Máquinas da prefeitura vão retirar o entulho da rodovia.

Ônibus mudam rota

O temporal que castigou a Grande Vitória nesta quinta-feira (5) provocaram alagamentos em diversos pontos da região metropolitana e dificulta o tráfego dos veículos, inclusive ônibus. Por conta disso, algumas linhas do Sistema Transcol tiveram mudanças em seus itinerários, realizando desvios para chegar até os pontos finais ou retornando antes de completar o percurso.