Casagrande anuncia novas medidas restritivas para enfrentar pandemia no ES

O governador Renato Casagrande (PSB) anuncia nesta quinta-feira (25) medidas mais extremas para reduzir a transmissão da Covid-19 no Espírito Santo. Uma das principais é a paralisação total do transporte coletivo durante oito dias. A suspensão acontece a partir deste domingo (28) até o domingo seguinte.

O mandatário do Palácio Anchieta saiu de uma reunião com a classe empresarial e com o setor produtivo do Estado e confirmou novas regras. As novas medidas devem passar a valer a partir do próximo domingo (28). E as regras do decreto estadual, que valeriam até 31 de março, serão estendidas até 4 de abril, domingo de Páscoa.

Entre elas estão:

– Novos setores foram atingidos e terão que fechar até o dia 4 de abril. São eles: comércio atacadista, lojas de material de construção, casas de autopeças e oficinas, agências bancárias, casas lotéricas e pesca no mar.

No dia 16 de março, o governador anunciou fechamento total no comércio, escola e outras atividades no Estado. A medida entrou em vigor há uma semana e, até o momento durará 14 dias. Na ocasião, ele justificou o anúncio das medidas. “Estamos na pior fase da pandemia, enfrentando um ambiente de guerra”, reconheceu. Ele apontou como as principais razões para a disparada do contágio no Brasil a demora na vacinação, a falta de uma coordenação nacional das medidas sanitárias, o surgimento de novas cepas do coronavírus e o negacionismo de parte da sociedade sobre a gravidade da pandemia. 

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Confira o que falou o governador Renato Casagrande: 

Dados preocupantes

Boa tarde. Nós estamos hoje numa quinta-feira, no oitavo dia da quarentena. Estamos cumprindo a quarentena que faremos até 31 de março. Avançamos nesses oito dia mas precisamos reconhecer que nós precisamos avançar mais. É importante que a gente compreenda que os dados que a gente tem devem deixar todos os capixabas preocupados. A partir desses dados, os capixabas devem ficar preocupados e que tomem medidas para reduzir a interação e melhorarmos os indicadores que estamos discutindo com vocês todos os dias.

Realidade do Espírito Santo x Outros Estados

Não é uma realidade capixaba. Nós aqui estamos atendendo a todos que demandam um leito, um leito de UTI, de enfermaria. Muitos Estados não estão conseguindo atender como conseguiram atender no passado. Muitos perderam a vida esperando um leito de UTI. Aqui no Estado do Espírito Santo, estamos atendendo a todo mundo. 

Taxa alta de ocupação de leitos de UTI

Por que temos que avançar mais? A taxa de ocupação de leitos desde o dia em que decretamos a quarentena ela está se mantendo acima de 90%. Mesmo com a gente abrindo leitos todos os dias praticamente. Hoje, estive em Colatina, abrindo leitos de enfermaria. Ontem, na Santa Casa de Misericórdia de Vitória, abrimos leitos de UTI e de enfermaria. Amanhã, estaremos num hospital particular da Serra, abrindo mais leitos de enfermaria. Mesmo abrindo leitos todos os dias a taxa de ocupação de leitos de UTI permanece acima dos 90%. Essa é uma razão que exige que a gente possa avançar mais. 

Mais pacientes em UTI

No dia 1 de março, nós tínhamos 724 leitos de UTI à disposição da sociedade capixaba. E nós tínhamos 525 pacientes internados em leitos de UTI. Leitos exclusivos para tratamento de covid. Ontem, dia 24 de março, nós já tínhamos 819 leitos de UTI exclusivo, praticamente 100 leitos a mais. Em 24 dias nós abrimos quase 100 leitos a mais de UTI. Mas, nós saímos de 525 pacientes internados em UTI para 750 pacientes internados em UTI. Então, nós crescemos 225 pacientes a mais atendidos em UTI, gerenciados pelo Estado. Não estou tratando aqui do serviço privado que está numa situação, também, de trabalho no limite. 

Sistema no limite

Abrimos quase 100 leitos a mais nesses 24 dias e tivemos um acréscimo no nosso sistema de 225 pacientes. Isso mostra a nossa preocupação. Eu tenho dito que estamos conseguindo estar um passo à frente da doença mas ela está alcançando nosso calcanhar. Se nesse ritmo a gente continuar, daqui a pouquinho poderemos não ter leito para todas as pessoas.