Três vereadores são presos durante a sessão da Câmara, em Aracruz

Os vereadores de Aracruz Orvanir Pedro Boschetti (PMDB), Ozair Coutinho Gonçalves Auer (PMDB) e Jocimar Rodrigues Borges, o Manego (PSB) foram presos durante a sessão da Câmara no início da noite desta segunda-feira (19). O secretário de Infraestrutura do município, Ismael da Rós Auer, e advogado Guilherme Loureiro também foram detidos. Outros três parlamentares foram afastados dos cargos. A operação foi deflagrada pelo Ministério Público com apoio da Polícia Civil. Com a ação, restaram apenas quatro legisladores na casa.

De acordo com o delegado Leandro Morais, titular da Delegacia de Polícia de Aracruz, os policiais pediram para que a sessão desta segunda-feira fosse suspensa. Então, os agentes efetuaram a prisão dos parlamentares Orvanir Pedro Boschetti (PMDB), Ozair Coutinho Gonçalves Auer (PMDB) e Jocimar Rodrigues Borges, o Manego (PSB). O secretário de Infraestrutura do município, Ismael da Rós Auer, e advogado Guilherme Loureiro também foram detidos.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Os vereadores Paulinho da Vila (PT), Ronis do Devens (PDT) e Luciano Frigini (PSD) foram afastados dos cargos. Os dois primeiros estavam afastados e reassumiram os cargos nesta segunda-feira (19). Com as prisões e afastamentos, restaram apenas quatro parlamentares na bancada da Câmara de Aracruz: Coronel Samuel Nascimento (PSB), Anderson Guidetti (PTB), George Coutinho (PDT) e o presidente da casa, Ronaldo Cuzzuol (PMDB).

“Este é o prosseguimento da operação deflagrada semana passada, quando o parlamentar Gilberto Furieri (PMDB) foi preso. As pessoas detidas são investigadas por fraudes em licitação, extorsão, contratação de funcionários fantasmas, corrupção ativa, entre outros crimes. A operação foi para cumprimento de mandados judiciais expedidos na tarde desta segunda”, explica o delegado.

Segundo o vereador Samuel Nascimento (PSB), o Coronel Nascimento, que tomou posse do cargo parlamentar na sessão desta segunda-feira na cadeira de Furieri, as pessoas que estavam no local ficaram sem entender o que acontecia. “A Câmara estava lotada porque entraria em pauta hoje o projeto de doação de um terreno para um instituto ambiental. Os policiais chegaram no momento quando eu fazia o meu discurso de posse do cargo. Fiquei sem saber o que fazer, mas concluí o que tinha a dizer”, conta.

Os vereadores, o secretário e o advogado presos foram encaminhados à DP de Aracruz.