Três empresárias são libertadas a pedido do Ministério Público

Três das mulheres presas na operação Lee Oswald, deflagrada de manhã pela Polícia Federal, por determinação da Justiça, foram liberadas no final da tarde desta quinta-feira (19) pelo desembargador Pedro Valls Feu Rosa, a pedido do Ministério Público Estadual. No pedido de liberação, o representante do MP alegou que as mulheres resolveram colaborar com a Justiça.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Foram libertadas as empresárias Juliana de Paula, Alessandra Salomão Rodrigues e Sabrina da Silva Tesch, que haviam tido prisão temporária de cinco dias decretada pelo magistrado. A previsão é de que, a partir das prisões efetuadas em Presidente Kennedy, e com a colaboração das três empresárias soltas, o inquérito tenha mais desdobramentos nos próximos 30 dias, que é a extensão do prazo solicitado pela Polícia Federal para sua conclusão.

O Ministério Público, no curso das investigações, solicitou informações ao Governo do Estado sobre incentivos fiscais concedidos na região. Em sua decisão de 201 páginas, o desembargador Pedro Valls, na página 199, determinou à Secretaria de Estado da Fazenda que informe, em 20 dias, a relação de benefícios fiscais concedidos nos últimos dez anos a empresas instaladas no Espírito Santo, além de eventual dívida do Estado com a concessão desses benefícios.