Tragédia tem cinco, não sete, desaparecidos, diz governo do Rio de Janeiro

O secretário estadual da Defesa Civil do Rio de Janeiro e comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Sérgio Simões, voltou a alterar a contagem de desaparecidos no desabamento de três prédios no Centro do Rio. Segundo ele, uma recontagem mais rigorosa junto à secretaria de Assistência Social da Prefeitura concluiu que são mesmo cinco, e não sete, os desaparecidos. “Eu recebi a informação de mais dois desaparecidos ontem à noite. Hoje, pedi uma nova checagem dos números e voltamos ao total de cinco desaparecidos”, afirmou.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Do total de 22 desaparecidos contabilizados imediatamente após o acidente, 17 corpos foram localizados, 13 deles identificados. Segundo Simões, um grupo de 20 bombeiros com quatro máquinas buscam por corpos, no local onde estão sendo depositados os entulhos do desabamento, num terreno da companhia municipal de limpeza urbana (Comlurb), no Km zero da Rodovia Washington Luis.

Não há prazo para encerramento das buscas por desaparecidos no local do acidente. “As buscam continuarão até acharmos todos os corpos ou então até termos a convicção de que nenhum deles está mais aqui”, afirmou.

Na próxima segunda-feira, a Avenida 13 de maio, epicentro do desabamento, voltará a ser aberta para pedestres. Nos arredores do acidente, o único prédio ainda interditado é o Edifício Capital, localizado na esquina das avenidas 13 de maio com Almirante Barroso.