TJES e governo juntos no combate a crimes de mando

Vamos vasculhar cada cartório deste Estado e descobrir processos de pistolagem que estejam sem definição. É uma vergonha para o Espírito Santo, inadmissível que se passem 25 a 30 anos sem que um caso tenha solução. Vamos perseguir a meta de zerar a pauta de júris até o final de 2012”.

Foi com essa disposição que o presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Pedro Feu Rosa, assinou com o governador Renato Casagrande, no gabinete do Palácio Anchieta, na tarde desta quinta-feira (05), o ato de criação da Comissão de Combate a Crimes de Mando e Pistolagem no Estado. É a quarta comissão criada depois dos protocolos de intenção firmados na posse da nova Mesa Diretora do TJ.

A cerimônia foi concorrida, com representantes da sociedade organizada e de famílias vítimas desses crimes, advogados, promotores, forças de segurança, os deputados estaduais José Esmeraldo e Marcelo Santos, o deputado federal César Colnago e os desembargadores Willian Silva e Willian Couto.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

A presidência da Comissão da Pistolagem foi entregue ao desembargador Telêmaco Antunes de Abreu Filho, que disse: “O Espírito Santo está dando um grande passo para diminuir a criminalidade e o sentimento de impunidade. Como presidente, não vou poupar esforços para a união de todas as instituições envolvidas com esta proposta”.

A comissão é composta ainda pelos juizes Luis Guilherme Risso, Fernando Fráguas Esteves, o promotor de Justiça Sócrates de Sousa e o representante do Conselho Estadual dos Direitos Humanos, Gilmar Ferreira de Oliveira.

Na mesma cerimônia também foi instituído o grupo de trabalho na área da área de segurança pública, que será também presidida pelo desembargador Telêmaco, sendo composta pela juiza de Direito Hermínia Azoury; o promotor de Justiça Sócrates de Sousa, representante do Ministério Público; o secretário Henrique Geaquinto Herkenhoff, representante do Governo do Estado; o delegado Erivelton Leão de Oliveira, da Polícia Federal e o inspetor Argeu José Vieira Frittoli Rangel, da Polícia Rodoviária Federal.