Suspeito da morte da própria namorada se apresenta à Polícia Civil de Linhares

Na companhia dos advogados e do pai, o estudante de Engenharia Marcos Rogério Amorim dos Santos, 21 anos, apresentou-se no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Linhares às 15h20 desta terça-feira (4).

Ele é o principal suspeito da morte da namorada, Arielle Martins Pardinho, da mesma idade, encontrada morta dentro do apartamento dele na noite desta segunda-feira, no centro de Linhares. O disparo fatal teria acontecido enquanto os dois mantinham relações sexuais, por fetiche do casal. Após o depoimento, Marcos foi liberado.

Em depoimento à Polícia Civil, o jovem contou que ele e a namorada gostavam de usar artigos perigosos durante as relações sexuais. Antes de fazerem sexo, na noite desta segunda-feira, ele contou que teria tirado as cápsulas do revólver calibre 38 utilizado no crime, mas uma bala havia ficado na arma e ele não tinha percebido. Ele teria comprado a arma para se defender, mas o produto não era registrado.

Durante a relação, ele deitou-se na cama e ela ficou por cima, com a luz apagada. Ele teria pegado o revólver engatilhado e apontado para a cabeça dela. Ela, então, teria movido a arma para dentro da boca. O estudante estava com o dedo no gatilho. Eles continuaram a fazer sexo. Em determinado momento de descuido, o dedo dele teria feito um movimento em falso e a arma disparou. Baleada, a vítima morreu no local.

A vítima teria caído por cima de Marcos, o que, segundo a perícia, explica um corte que ele sofreu abaixo do olho. Ele jogou o corpo para o lado e ligou para o pai dele, um policial rodoviário federal aposentado, que disse ter demorado 15 minutos para chegar ao local. Segundo o perito criminal Nilo Sérgio Bezerra, a história contada pelo suspeito condiz com a configuração da cena do crime.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Segundo o chefe do DPJ, delegado Fabrício Lucindo, o pai teria dado fuga ao filho, mas, em depoimento, negou o fato. No entanto, marcas de sangue no carro dele desmentem a versão do aposentado. Em novo testemunho na tarde desta terça-feira, ele voltou atrás e confirmou as suspeitas da perícia.

Após prestar o depoimento, Marcos vai ser liberado no início desta noite. “Ele foi liberado por se apresentar espontaneamente à polícia. Ele pode responder ainda por homicídio culposo ou com dolo eventual. O inquérito deve ser concluído em 30 dias. Nesse prazo, caso seja necessário, a gente pode pedir a prisão dele”, justificou o delegado.
Arielle Martins Pardinho foi encontrada morta, com um tiro na boca, dentro do apartamento do namorado dela por volta de 20h30, em Linhares. O fato aconteceu no Edifício Porto do Rio, situado na Avenida João Felipe Calmon, próximo à Praça 22 de Agosto, uma das áreas mais nobres do centro da cidade.

O corpo da vítima, de acordo com a polícia, estava nu, deitado sobre a cama do namorado. Próximos ao corpo, os militares encontraram um revólver calibre 38 e cinco balas intactas do mesmo calibre. A jovem era de São Paulo e estava morando em Linhares há pouco mais de um ano. Ela trabalhava como auxiliar administrativo em uma empresa de segurança do trabalho.

Corpo já sendo velado

O corpo de Arielle foi liberado por familiares do Serviço Médico Legal (SML) de Linhares por volta das 13h30 desta terça-feira. O velório acontece na capela da Igrejinha Velha, em frente à Praça 22 de Agosto, em Linhares. O enterro vai ocorrer por volta das 8h desta quarta-feira no Cemitério São José, em Linhares.