Se não seguirem orientação, vereadores do PPS de Cariacica podem ser expulsos da legenda

Apontado como o pivô da discussão registrada na Câmara de Cariacica na noite desta quarta-feira (21), o vereador Paulo Assis (PPS) está impedido de votar contra a emenda que limita o valor de suplementação que o prefeito Helder Salomão (PT) pode usar sem pedir autorização à Câmara. A decisão é da executiva municipal do partido.

A mesma orientação foi dada ao vereador Salvador Capaz (PPS). Os dois votaram contra a emenda que reduzia de 40% para 3% esta suplementação.

O PPS, que até então não havia orientado os vereadores, repudiou o posicionamento dos parlamentares. Toda confusão começou após Paulo Assis (PPS) ter desonrado um acordo, firmado com outros vereadores, de votar favorável a emenda.

Segundo o presidente em exercício da executiva municipal do partido, Rodrigo Ramos, os vereadores foram convidados a participar de uma reunião nesta quinta-feira (22) na sede do partido. Entretanto, não compareceram.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

A câmara, agora, vai apreciar uma outra emenda. Essa limita em 4% a autonomia do prefeito. Rodrigo destacou que, se os vereadores descumprirem a orientação, vão responder por infidelidade partidária, podendo até mesmo serem expulsos da legenda.

“A administração não vem cumprindo os investimentos anunciados. Os vereadores precisam liberar a suplementação aos poucos para que eles possam acompanhar o andamento das obras. Por essa razão, os vereadores do PPS estão orientados a votarem favoravelmente a emenda, que estipula em 4% a autonomia do prefeito”, explicou.

Os vereadores Paulo Assis e  Salvador Capaz não foram localizados para comentar o assunto. Nem mesmo a executiva municipal do PPS conseguiu fazer contato com eles nesta quinta-feira.

A emenda que causou a confusão foi apresentada dentro do projeto do Orçamento do município – previsto em R$ 575 milhões para 2012 – e o da Câmara, que deve passar de R$ 9,7 milhões para R$ 14,4 milhões.

O presidente do Legislativo, vereador Adilson Avelina (PSD), suspendeu a sessão desta quarta devido ao tumulto generalizado no local. A votação acontecerá na próxima terça-feira.