Reflexão Izaias Antônio Souza : SÍNDICO SEM CONDOMÍNIO

526267_2655360242913_641216144_nUma comunidade familiar composta por dezenove membros, sendo pai, mãe, dois filhos e duas filhas, sendo todos casados, razão por que duas noras e dois genros também integravam a família, que contava, ainda, com nove netos, sendo que ao mais novo de todos, não se sabe lá por que, convencionaram os pais dar-lhe o nome de “coletivo”.

Em determinado tempo programou-se uma reunião da comunidade famíliar visando discutir um projeto de construção do condomínio fechado onde seriam edificadas as residências das cinco unidades familiares.

“Coletivo”, com apenas três anos de idade, mal dormia nas noites que antecediam a data da reunião. Apesar de ser ainda uma criança, tinha inúmeras ideias e já pensava em sugerir algo para o “playground”. “Playground”? Tudo bem, “Coletivo” sabia que se tratava da área de lazer, mas gostava da expressão “playground” que alimentava mais a sua empolgação, havia aprendido no clube que frequentava, o significado da expressão “playground”.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Finalmente chegou o dia da reunião que teve início no café matutino, continuando até o horário do almoço, passando pelo café da tarde e se estendendo até após o jantar. Sem chegar em um consenso a reunião foi suspensa.

“Coletivo tentou de todas as formas, mas não conseguiu “pregar os olhos” naquela noite. É que não conseguia compreender como se passara um dia inteiro de reunião discutindo apenas um assunto. Ele não sabia o que significava aquele “assunto” mas imaginava que deveria ser muito importante, pois tomou todo o dia da reunião e sem chegar a uma decisão.

Dia claro, noite em claro, bocejando muito, “Coletivo” perguntou para o irmão mais velho o que significava “síndico”. Este era o “assunto” que tomara todo o dia de reunião. Respondeu o irmão mais velho: “Síndico” é a pessoa que “manda” no condomínio.

“Coletivo”, sem entender nada, mas extremamente frustrado, deixou sobre a mesa a xícara de leite e sem ao menos dar conta das quitandas postas para o café daquela manhã, pegou o seu gato chamado pimpolho e foi brincar no quintal.

– Pimpolho, na família dos gatos também tem esse tal “síndico”?

A vida é assim. Perdemos precioso tempo discutindo acerca do síndico de um condomínio que nunca se construiu.