Prorrogadas prisões temporárias de Presidente Kennedy

A Justiça acolheu o pedido da Polícia Federal e prorrogou, por cinco dias, a prisão temporária de 13 pessoas que foram presas na Operação Lee Oswald, desencadeada a partir do município de Presidente Kennedy para desarticular uma organização criminosa responsável por fraudes em licitações, superfaturamentos, desvio de verbas, além de pagamentos indevidos em contratos de serviços e compra de materiais no Espírito Santo.

O desembargador Pedro Valls Feu Rosa decretou as prisões em atendimento a solicitação do Ministério Público. Na ocasião, foram presas 12 pessoas, preventivamente, até a conclusão do inquérito policial (novo prazo de 30 dias foi dado à Polícia Federal), enquanto outras 16 sofreram prisão temporária de cinco dias. Dessas pessoas, três empresárias foram libertadas, também a pedido do MP, porque resolveram colaborar com as investigações.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

O pedido de liberdade para Rodrigo da Silva Zaché e Miguel Jorge Freire Neto foi negado pela Justiça. Treze prisões temporárias foram prorrogadas: além de Rodrigo e Miguel Jorge, continuam presos Alexandre Pinheiro Bastos, Maria Andressa Fonseca Silva, Sílvia França de Almeida, Charlene Carvalho Sechin, Fabrício da Silva Martins, Wallas Bueno da Silva (PM), Samuel da Silva Moraes Júnior, Paulo César Santana Andrade, Carlos Fernando Zaché, Fábio Saad Junger e Joel Almeida Filho.

Preventivamente, até a conclusão do inquérito policial, estão presos o prefeito Reginaldo dos Santos Quinta, o procurador municipal Constâncio Borges Brandão e mais Geovana Quinta Costalonga, Juliana Bahiense Fontão Cruz, Flávio Jordão da Silva, Márcio Roberto Alves da Silva, Jovane Cabral da Costa, Eli Ângelo Jordão Gomes, José Carlos Jordão Gomes, José Roberto da Rocha Monteiro, Cláudio Ribeiro Barros e Jurandy Nogueira Júnior.