Primeira panicat, Sandy Capetinha revela que existe prostituição e humilhação no ‘Pânico’

A primeira panicat soltou o verbo sobre os bastidores do “Pânico”, ao jornal Extra. Regiane Brunnquell, mais conhecida como Sandy Capetinha, confirmou o que foi dito por Dani Bolina: existe prostituição no meio das panicats.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

“Ali no programa acontece de tudo. Vi muito abuso de poder, meninas sendo assediadas sexualmente, tendo que mostrar o bumbum também para os integrantes do programa nos corredores só para se dar bem, prostituição, e muito ego e humilhação. Ali existe a consciência de que todas são iguais. E eu nunca topei nada disso. Mas o que importa é que eles não fazem mais parte da minha vida. Não sou amiga deles e nem dou ibope mais para o programa”, disse ela à publicação, sem entrar em detalhes ou citar nomes.

Fora do programa, a catarinense de 29 anos vive no anonimato como modelo em São Paulo, mas ainda sonha com a carreira na telinha. “”Saí porque quase morri. Tive uma hemorragia interna após levar uma pancada na cabeça durante um jogo agressivo que fui obrigada a participar.”