Presidente do TSE quer fichas sujas e corrupção fora das eleições

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia, garantiu que a lei da ficha limpa será 100% aplicada durante as eleições deste ano, impossibilitando o registro de aos candidatos irregulares. A prioridade agora, segundo ela, é que os processos referentes as eleições de 2010, que estão em julgamento no TSE sejam concluídos até o início da próxima eleição. A ministra Cármen Lúcia esteve reunida com os juízes eleitorais do Estado e servidores, nesta sexta, no Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), e a orientação foi para executar a lei, barrando os ficha suja.

“Que seja cumprida com rigor, fazendo com que o povo brasileiro seja atendido naquilo que ele quer. Esperamos que nas eleições prevaleçam a lisura, a moralidade e que, realmente, a vontade do eleitor se transforme na direção da cidade a partir das eleições. Nós estamos trabalhando como prioridade nesses casos ainda de 2010, para que até no início das eleições todos tenham sido julgados. A lei tem que ser cumprida”, ressalta a ministra.

A ministra garantiu que apesar de pouco tempo para as eleições, a Justiça Eleitoral está estruturada mesmo sendo a primeira vez que a lei será aplicada. “Nós estamos estruturados exatamente para atender essa demanda. Nós também temos que agora oferecer uma contribuição maior porque é a primeira vez que ela será aplicada. Eu garanto que nós estamos todos trabalhando empenhados para que a gente cumpra esses prazos”.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Após o registro da candidatura, os cartórios têm o prazo legal de cinco dias para a impugnação, que é suficiente para que a sociedade, o Ministério Público ou os partidos políticos contestem candidaturas possivelmente ilegais. Cármen Lúcia disse ainda que até o momento não foi solicitada a presença da Força Nacional durante o período eleitoral.

“O Espírito Santo ainda não pediu, mas isso está devidamente equacionado para que em caso de necessidade imediatamente serão postas à disposição as Forças Armadas, para que o cidadão tenha segurança para votar”.

A presidente, que deveria ter chegado ao TRE às 10h30 desta sexta-feira, teve um imprevisto e adiou a visita para as 14 horas, devido a compromissos em Brasília. Durante o encontro a ministra pediu desculpas aos juízes e servidores pelo atraso e garantiu a todos o apoio durante as eleições. “Estou presente aqui para deixar a certeza aos senhores que estamos juntos, eu em nome do TSE, para que  esse processo eleitoral levado a diante pelo senhores, seja com todo rigor, seriedade e ética no combate a qualquer forma de corrupção. Eu garanto a total segurança aos senhores”, garantiu.

Além do encontro Cármen Lúcia tinha uma agenda com o governador Renato Casagrande (PSB) no Palácio Anchieta, mas devido o horário preferiu que o encontro fosse no Aeroporto de Vitória, já que Casagrande estava em Brasília. E a reunião com o presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo(TJES), Pedro Valls Feu Rosa, foi cancelada. O Espírito Santo é o quarto Estado a receber a visita da ministra além do Distrito Federal. Após o Espírito Santo, o próximo destino será Roraima.