Prazo de 15 dias para Justiça decidir se terá intervenção em Presidente Kennedy

O presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Pedro Valls Feu Rosa, vai pedir mais informações da situação da prefeitura de Presidente Kennedy antes de decidir sobre o pedido de intervenção no município. Na semana passada, a Operação Lee Oswald desvendou um suposto esquema de corrupção no Executivo local. Ao todo, 28 pessoas foram presas, entre elas, o prefeito Reginaldo Quinta (PTB).

De acordo com a decisão do desembargador, baseada no artigo 178 do regimento interno do TJES, a prefeitura terá um prazo de 15 dias para enviar os documentos solicitados pela Justiça. Somente após esse período, será analisado se será necessária uma intervenção em Presidente Kennedy.

A decisão tomada pela Presidência do Tribunal, no entanto, só terá efeito a partir do momento que houver alguém responsável pelo comando do município, que até a noite desta terça-feira estava sem controle.

Posse

DivulgaçãoO presidente interino da Câmara de Presidente Kennedy, Jaderci de Oliveira (PMDB), afirmou que vai assumir a prefeitura nesta quarta-feira (24). A cidade está sem comando desde a semana passada quando o prefeito Reginaldo Quinta (PTB) foi preso junto com mais 27 pessoas por suspeita de envolvimento no suposto esquema de corrupção.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Jardeci afirmou que está pronto para tomar posse do Executivo. Segundo ele, que foi empossado interinamente do cargo na última segunda-feira. “Tenho competência para governar e se não vier nenhum impedimento do Judiciário vou assumir a prefeitura amanhã às 8 horas”, destacou.

Nesta terça-feira, seria realizada uma sessão para eleger a nova Mesa Diretora, já que quatro vereadores foram afastados suspeita de participação no esquema de fraude, entre eles, o presidente do Legislativo, Dorlei Fontão da Cruz, o vice, Manoel de Abreu José Fernandes, o secretário Clarindo de Oliveira Fernandes e a vereadora Vera Lúcia de Almeida Terra.

A decisão de não convocar eleição foi tomada pelo próprio Jaderci. “Preferi não fazer por causa do momento atual que a cidade está passando e, com isso, decidi ficar na presidência interinamente. Temos que agir com cautela”.

Os quatro suplentes dos vereadores afastados, que também tomariam posse nesta terça-feira, não assumiram as vagas e ainda não há previsão para eles serem empossados.

De acordo com a assessoria de imprensa do Palácio, somente após decisão do TJES, o governador Renato Casagrande irá indicar um nome que tenha perfil técnico para assumir o comando do município. Ainda esta semana o Ministério da Justiça deve enviar uma “Força Tarefa” ao Estado para auxiliar a Justiça e o Ministério Público Estadual na apuração dos fatos mencionados na Operação Lee Oswald.