Porta De Helicóptero Se Desprende Em Voo Com Vice-Governador E Deputados

O vice-governador Givaldo Vieira (PT), os deputados estaduais Genivaldo Lievori (PT) e Henrique Vargas (PRP) e o secretário Estadual de Agricultura Ênio Bergoli passaram por apuros quando voltavam para Vitória após inauguração de um mercado popular no município de São Gabriel da Palha, nesta quarta-feira (09). A porta do helicóptero em que estavam se soltou da aeronave e despencou em pleno voo. Foi necessário um pouso de emergência.

Poucos minutos após a decolagem a porta ficou precariamente presa à aeronave, correndo risco de cair. O piloto desviou a rota para sobrevoar uma área que não fosse ocupada por casas. Quando a aeronave vooava sobre uma área de pasto, a porta se desprendeu do helicóptero. Também estavam na aeronave um cerimonialista do governo do Estado, além de piloto e co-piloto. Apesar do grande susto, ninguém se feriu.

Mesmo há vários metros do chão e com o vento entrando a toda velocidade na aeronave, Givaldo Vieira minimizou o incidente e exaltou as habilidades dos pilotos. “Quando percebemos que a porta lateral se desprendeu, o piloto nos tranquilizou dizendo que a aeronave estava segura. A viagem atrasou um pouco por causa do pouso imprevisto, mas seguimos descontraídos e brincando com a situação. Ficamos tranquilo porque nossos pilotos são muito bem preparados”, disse o vice-governador.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Já o deputado Henrique Vargas não teve a mesma tranquilidade de Givaldo e confessou ter sido o que ficou com mais medo de uma possível tragédia. Era apenas a segunda vez que ele andava em um helicóptero.

“Eu fiquei bastante assustado porque não tenho o costume de andar de helicóptero. Eu acredito que tenha sido eu mesmo (o mais assustado). O Ênio Bergoli já tem mais experiência, o vice-governador também. Agora eu não tenho tanto experiência. Mas ficou todo mundo assustado na hora porque entra aquele vento, o barulho aumenta. Mas a maior preocupação era a porta. O piloto falou que o perigo era a porta se desprender e cair em cima de alguém”, relatou o deputado.

Pilotado por militares, o helicóptero decolou de São Gabriel da Palha pouco antes das 17h. Logo depois da decolagem, houve o problema com a porta e a necessidade do pouso de emergência. Os pilotos avaliaram que era possível continuar a viagem sem a porta, mantendo uma velocidade reduzida. Com os contratempos, o percurso feito normalmente em cerca de 30 minutos levou quase cinquenta minutos.

O vice Givaldo Vieira informou que o governo do Estado, através do grupamento aéreo, iniciou um procedimento para descobrir o motivo da falha do equipamento. A aeronave seguiu para a manutenção e a fabricante foi notificada para emitir parecer técnico.