PM é autuado em flagrante por morte de caminhoneiro. Veja vídeo e fotos

O soldado da Polícia Militar Saulo Oliveira de Souza, de 30 anos, foi preso e autuado em flagrante por homicídio duplamente qualificado, afirmou o delegado Josafá da Silva, chefe da Delegacia de Crimes Contra à Vida (DCCV) da Serra. O policial atirou quatro vezes em um caminhoneiro, três disparos no tórax e um na barriga, após uma discussão de trânsito na tarde desta terça-feira (8), na Rodovia BR-101, na altura do acesso ao bairro Barcelona.

“O policial militar foi autuado por homicídio qualificado por motivo fútil e por colocar em risco a vida de terceiros, isso porque ele atirou em plena BR-101 e com uma grande quantidade de pessoas. Ou seja, o PM foi autuado por homicídio duplamente qualificado”, explicou Josafá.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

O soldado Saulo Oliveira não deu declarações à imprensa. Ele saiu da delegacia com o rosto coberto por uma camisa vermelha. Por meio do diretor da Associação de Cabos e Soldados, Flávio Gava de Oliveira, o acusado garante que agiu em legítima defesa. O PM afirma que o caminhoneiro Antônio Rodrigues, de 53 anos, teria esboçado reação no sentido de sacar alguma arma na cintura. Policiais civis comprovaram no local do crime que a vítima estava desarmada.

“O policial se defendeu de uma agressão que ele viria a sofrer se não tivesse se defendido”, afirmou. Gava foi questionado sobre a informação de testemunhas que Antônio Rodrigues teria pedido para não ser morto. “Duvido que tenha ocorrido algo assim. Confio no policial e vamos defendê-lo até o julgamento final. A maioria das pessoas que estava lá no local nem sabe o que aconteceu”, rebateu.

Após prestar depoimento na DCCV da Serra, Saulo Oliveira de Souza saiu escoltado por vários policiais militares, sem algemas e com o rosto coberto quando embarcou no banco traseiro de uma viatura da PM. O preso foi encaminhado ao Quartel da PM, em Maruípe, Vitória.

Josafá da Silva informou que tem 10 dias para concluir o inquérito e que pretende ouvir, pelo menos, quatro testemunhas, sendo três pessoas que viram o crime ocorrer e a esposa do policial. Ela estava dentro do Gol, de cor prata, automóvel atingido pelo caminhão na BR-101, na companhia da filha de dois meses do casal. Ninguém ficou ferido no acidente.