Pelo Facebook, Iriny nega racha no PT

Apesar de brecha interna para apoio a Hartung, ministra diz que partido está unido

Em meio à tentativa da corrente Alternativa Socialista (AS) de abrir espaço para o PT construir apoio a um nome de outro partido, a ministra das Mulheres, Iriny Lopes, que pertence à tendência Articulação de Esquerda (AE), usou o Facebook para reafirmar que será ela o nome defendido pela legenda na eleição pela Prefeitura de Vitória.
Na mensagem, divulgada no fim da noite de quarta-feira, a petista diz estar “firme e disposta” a consolidar seu nome como a de candidata do PT à sucessão de João Coser (PT) na Capital. O prefeito, que está de férias, pertence à AS.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

“Com total apoio da direção nacional do partido, do PT local, de dirigentes e militantes, ratifico minha disposição, já oficializada junto ao partido”, destacou Iriny. A mensagem da ministra foi “curtida” por mais de 140 pessoas e compartilhada mais de 40 vezes na rede social.

A ministra reafirmou que sua pré-candidatura “não é pessoal, mas fruto de diálogo e construção coletiva”. Reiterou que, diante das informações de que o PT poderia abrir espaço para outro nome, recebeu “incontáveis telefonemas, e-mails e mensagens” de solidariedade.

Cenário
O presidente regional do PT, José Roberto Dudé, e o vereador Eliézer Tavares, coordenador da corrente Alernativa Socialista, negaram pretensão de recuo. O documento prevendo aliança com outro partido, disseram, é apenas “medida preventiva”.

O meio político, porém, interpretou a iniciativa como um novo passo do grupo majoritário de Coser em direção ao nome do ex-governador Paulo Hartung (PMDB).

O peemedebista, embora ainda não tenha se posicionado quanto à candidatura, é nome dado como certo pelo partido e teria no prefeito de Vitória um dos principais apoiadores para a sucessão, mesmo sob críticas do PT.

No fim do ano passado, após reunião com a executiva nacional do PT, Coser recuou do apoio a Hartung e disse que Iriny seria tratada como pré-candidata prioritária.