Partidos apostam em Frei Honório e miss para eleição

frei2Marcando posição até se definirem as chapas de governo e Senado, os partidos já se mobilizam preparando candidaturas à Câmara dos Deputados e à Assembleia Legislativa. Mesmo recorrendo a figuras já tradicionais na política, as eleições proporcionais terão também sua porção inusitada, com rostos menos conhecidos. Nessa estratégia de lançar novos “puxadores de voto”, o PT aposta num frei; o PR, num delegado; o PRB, numa miss; e o PSDB, num professor e num enfermeiro.

A corrida para a Câmara, aliás, será voto a voto. Além dos atuais titulares das 10 cadeiras, há centenas de candidatos no páreo. É nessa disputa acirrada que o PSDB, vindo de uma fase ruim, quer recuperar terreno. Presidente regional do partido, o deputado federal César Colnago vai à reeleição e cogita lançar colegas expressivos à Câmara: os ex-deputados Rita Camata e Luiz Paulo Vellozo Lucas e o ex-prefeito Max Filho.

Presidente do PT capixaba, João Coser aponta uma lista de “novidades” na disputa pela Câmara: o ex-prefeito de Cariacica Helder Salomão, o vice-governador Givaldo Vieira e o diretor do BNDES Guilherme Lacerda serão candidatos ao lado da deputada Iriny Lopes.

Os petistas puxadores de voto na Assembleia serão os atuais cinco deputados, secundados por lançamentos como Frei Honório, pároco de Nova Venécia.

Há 20 anos no PT e 30 no ministério, o sacerdote quer reverter o “vazio do Noroeste”: “Precisamos reforçar a agricultura familiar combater a dependência química. A possibilidade de candidatura não complica minha missão, porque já faço trabalho social. Quero ser um braço estendido para a região”. O frei deve se licenciar na campanha.

miss_min_ca-1236507Sem muita oxigenação, o PMDB quer ganhar musculatura elegendo deputados estaduais ex-prefeitos como Guerino Zanon (Linhares) e Elieser Rabelo (Vargem Alta). “A ideia é manter as sete cadeiras na Assembleia e as três da Câmara. Há pouca surpresa porque temos uma densidade partidária grande já com mandatos”, observa o presidente Lelo Coimbra.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Comandado pelo senador Magno Malta, o PR terá o delegado de trânsito Fabiano Contarato como puxador de voto para a Câmara – isso se ele não preencher a vaga senatorial caso Magno se lance ao governo. O partido pretende lançar 40 nomes a federal. Vereadores da Grande Vitória e nomes sem mandato, como o ex-deputado Vasco Alves, compõem essa lista.

Já o “nanico” PRP apostará na miss Espírito Santo Anne Volponi para deputada federal, ao lado do humorista Tonho dos Couros. Também pode concorrer a bilheteira Lenira, logo assediada pela sigla ao encontrar e devolver R$ 100 mil na rodoviária de Vitória.

PSB joga alto para Câmara e Assembleia

Foto: Marcos Fernandez- GZ

 Marcos Fernandez- GZ

PR aposta no delegado Contarato

O PSB do governador Renato Casagrande será um ator agressivo na disputa proporcional. Quer eleger ao menos dois deputados federais e ampliar para ao menos quatro vagas a representação na Assembleia, hoje reduzida ao paroquial Eustáquio Freitas. Ainda assim, o presidente estadual da sigla, Luiz Ciciliotti, faz um cálculo “macro” de pesos e contrapesos. Ele considera as futuras coligações, numa tentativa de não inviabilizar a eleição de aliados.

“Vamos para a reeleição de Casagrande pensando também nos outros partidos, tendo cuidado e maturidade ao montar a chapa. Não vou destacar nomes do PSB, porque vai depender do desempenho de cada candidato e coligação”, ameniza o dirigente.

Os socialistas trabalham com políticos conhecidos para a Câmara. Ciciliotti exemplifica: Paulo Foletto (reeleição); o secretário de Esportes, Vandinho Leite; o ex-prefeito de Anchieta, Edival Petri; e o vereador de Vitória Davi Esmael.

De todo modo, ao reconhecer que “o eleitor quis mudança” na última eleição, Ciciliotti acena com possíveis surpresas. “Estamos na fase de planejamento, está muito cedo ainda. Também estamos preparando candidaturas a federal nas grandes regiões”. No caso da Assembleia, além da reeleição de Freitas e Glauber Coelho, o PSB tem à disposição nomes de vereadores e ex-prefeitos.

As metas

PT
Manter as cinco vagas na Assembleia. A senadora Ana Rita pode tentar Câmara ou Assembleia.

PSDB
Além de reconduzir Pastor Mansur, o partido quer eleger para a Assembleia o professor Sérgio Majeski e o enfermeiro Coutinho. Meta é eleger dois federais e três estaduais.

PMDB
Na Câmara, Camilo Cola deve sair da disputa e Rose de Freitas pleiteia
o Senado, o que abriria espaços a aspirantes.

Outros
Na disputa da Câmara o PDT deve ter o ex-prefeito Sérgio Vidigal. O PR ensaia lançar o coronel Ronald William e a vereadora Moa (Nova Venécia).