Pai sai em busca de informações do filho e descobre que jovem foi assassinado

A busca de um pai pelo filho que saiu de casa durante a noite e não havia retornado até a manhã desta terça-feira (04) chegou ao fim com uma notícia trágica para a família, na Serra. O jovem de 19 anos foi assassinado. A informação foi dada por acaso na porta do DPJ de Laranjeiras, local para onde o pai se dirigiu após ser informado que o filho teria sido detido.

O auxiliar de produção Whender Phillippe Mairink, 19 anos, foi morto no bairro Pitanga durante um tiroteio, segundo testemunhas. Como o filho não dava notícias desde a noite de segunda-feira (03), o cobrador José Francisco Mairink, 51 anos, partiu em busca de informações. De acordo com policiais, o homem teria chegado à delegacia por volta das 7 horas para saber se o filho estava preso.

Com a negativa, o cobrador permaneceu na porta do DPJ. Um amigo da família teria informado que Whender havia sido preso por volta das 2 horas, no bairro Pitanga. José ligou várias vezes para o celular do filho e do colega, que foi baleado, mas ninguém atendia.

“Um rapaz, que mora em Pitanga, foi cedo na minha casa e disse que meu filho tinha sido preso. Ele viu um policial saindo com o carro dele. Whender estava com o amigo, que mora comigo também. Pensei que estava preso porque o carro tem um som equipado”, disse.

Os telefones das vítimas não atendiam. José Francisco disse que não sabia o que fazer, já que o filho nunca dormiu fora de casa sem avisar à família. Whender teria dito aos pais que iria na casa do tio em Pitanga. Ele saiu de casa em Planalto Serrano, por volta das 21h30.

“Pedi a ele que não saísse de casa, mas alegou que não iria demorar. Meu filho não era uma pessoa envolvida com tráfico de drogas ou usuário. Ele trabalhava até dia de domingo. Tenho certeza que Deus vai me dá força para suportar essa dor”, disse o pai.

Por volta das 9h30 desta terça, quando chegou a informação sobre o crime de Pitanga, o cobrador recebeu a notícia que uma das vítimas era seu filho. O pai na hora não acreditou na história e tentou, por várias vezes, que confirmasse o nome da vítima. Ele ficou em estado de choque, nem sabendo como prosseguiria naquele momento e pedia orientação.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

O homem seguiu a pé para o Hospital Dório Silva, acreditando que o filho poderia estar vivo. Mas era o amigo quem tinha sido baleado e passava por uma cirurgia. De lá, José Francisco seguiu para o Departamento Médico Legal (DML), onde reconheceu o corpo do filho.

“Whender era o meu filho caçula e jamais imaginei que um dia isso pudesse acontecer. Minha esposa está sem chão. Somos todos evangélicos e não sabemos como isso pode ter acontecido. Acredito que ele tenha sido confundido com algum bandido”, disse.

Segundo o cobrador, o filho teria pago a segundo parcela do financiamento do carro nesta segunda-feira. O jovem baleado e socorrido ao hospital é natural de Conceição da Barra e morava há um ano na casa de José Francisco. O cobrador garante também que o rapaz não era envolvido com drogas.

No dia do crime, o cobrador pediu ao filho para não sair de casa. “Pedi a ele para ficar, mas meu filho disse que não iria demorar. Ele não tinha envolvimento com tráfico. Ele trabalhava até dia de domingo. Tenho certeza que Deus vai me dá força para suportar essa dor”.

O corpo do jovem será enterrado nesta quarta-feira (5), no Cemitério de São Domingos, na Serra, às 10 horas.

O crime

O bairro Pitanga, considerado um dos mais calmos da Serra, foi palco um tiroteio ocorrido na praça do bairro, cometido por traficantes, às 21h50, terminou com um morto e um ferido. Segundo a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o ferido se identificou para policiais militares que o socorreram como Luiz Miranda Barbosa Júnior. O nome não foi conformado, já que ele estava sem documentos e desmaiou assim que os PMs o encontraram. O ferido foi levado para o Hospital Dório Silva em estado grave.

Já Whender Phillippe Mairink foi identificado através de documentos que estavam dentro do Peugeot 206 MQN 8711, de Cariacica. Os dois rapazes chegaram a Pitanga nesse veículo. Testemunhas informaram aos investigadores da DHPP que os dois jovens estavam sentados numa das mesas da praça. Whender teria acabado de sair de um bar, onde havia comprado um refrigerante, tendo retornado para junto de Luiz e recomeçado a conversa.

Nesse momento, um carro de cor escura parou próximo aos dois. Os ocupantes saltaram e, de imediato, passaram a atirar na dupla de amigos. O corpo de Whender, segundo os peritos criminais, apresentava pelo menos 10 perfurações de tiros.

Ferido no pescoço e ombro esquerdo, Luiz correu e foi cair próximo a um restaurante, já afastado da praça, onde foi socorrido pela PM. Os autores do crime não foram identificados.