Nova Fernando Ferrari é inaugurada e garante mais mobilidade na Grande Vitória

avenida_fernando_ferrari__6b9a376237Depois de 14 anos, a obra da Avenida Fernando Ferrari, em Vitória, está finalmente concluída. A solenidade de entrega aconteceu na manhã deste sábado (02) e contou com a presença do governador do Estado, Renato Casagrande, do prefeito de Vitória, Luciano Rezende, além de outras autoridades.

Com a conclusão das obras, os cinco quilômetros da avenida passam a contar com três faixas em cada sentido, além de semáforos sincronizados, que vão melhorar o fluxo de veículos. Cerca de 75 mil carros passam por dia pela avenida. A ampliação custou quase R$ 103 milhões e foram feitas mais de 100 desapropriações ao longo da via.

“A Avenida Fernando Ferrari é uma via estratégica para a Grande Vitória, e a conclusão de sua ampliação tende a beneficiar a mobilidade de todos que precisam passar pela via e que, agora, poderão usufruir desse investimento importante do Estado e da Prefeitura de Vitória”, destaca o secretário de Estado dos Transportes e Obras Públicas, Fábio Ney Damasceno.

As obras, resultado de uma parceria entre Governo do Espírito Santo e Prefeitura Municipal de Vitória, foram realizadas pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES), dentro do Programa de Mobilidade Metropolitana (PMM), da Secretaria de Estado dos Transportes e Obras Públicas (Setop) e são resultado de um investimento de R$ 9.337.865,04.

“A Região Metropolitana toda ganha com a ampliação e com o aumento da capacidade operacional na Fernando Ferrari. Além disso, é importante lembrar que a avenida faz ligação com a BR 101 e com o município da Serra, por onde também chegam os turistas. É o cartão de visitas da cidade”, diz a diretora geral do DER, Tereza Casotti.

Benefícios

As obras compreendem um trecho de 800 metros, entre a antiga Colchoaria Paris e a Avenida Adalberto Simão Nader.

Por meio da ampliação da via, de quatro para seis pistas de rolamento, sendo três em cada sentido, é possível garantir um aumento de aproximadamente dois mil veículos por hora.

Outro fator que contribui para a melhoria da fluidez no trânsito é a construção de baias de ônibus segmentadas da pista. O recuo construído para o embarque e desembarque de passageiros permite que o fluxo nas pistas seja mantido, uma vez que os ônibus não precisam mais interromper o tráfego.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Tudo isso contribui para um aumento na velocidade média nos horários de pico, de 9 km/h (antes das obras) para 27 km/h.

É importante destacar que obras realizadas em regiões metropolitanas representam um desafio para a gestão pública, uma vez que existem fatores que precisam ser ajustados de modo que a comunidade (significativamente maior em relação ao interior) seja minimamente impactada.

Durante todos os serviços, o DER, em parceria com as empresas de redes concessionadas (como telefonia, Internet, energia elétrica) garantiu o funcionamento integral ao usuário. Para isso acontecer foi necessário um trabalho minucioso de implantação de novas redes para posterior realocação de postes.

Além disso, no decorrer das obras não foi necessário restringir o tráfego de veículos, ou seja, o DER manteve a capacidade de tráfego original da via, com duas pistas em cada sentido.

Programa de Mobilidade Metropolitana

O Programa de Mobilidade Metropolitana (PMM) é o maior investimento já feito em mobilidade urbana na Região Metropolitana da Grande Vitória, e contempla obras viárias importantes, como a construção da Quarta Ponte, as melhorias para o transporte coletivo, a implantação do BRT e de novos modais de transportes. Este programa foi lançado em maio de 2012, pelo Governo do Espírito Santo, por meio da Setop.

O PMM compreende mais de 50 obras e ações, como a pavimentação de 179 km de vias, a reforma de terminais do Transcol, a implantação de melhorias na frota de ônibus atual e na comunicação com o usuário do sistema público de transporte coletivo, dentro de um investimento superior a R$ 3 bilhões.

O Programa foi planejado para gerar melhorias na mobilidade a médio e longo prazos, mas também compreende ações imediatas, principalmente no transporte coletivo. Além disso, o PMM será todo desenvolvido em cima da multimodalidade, com a integração entre todos os modais de transporte, de acordo com a hierarquia viária estabelecida pela Nova Lei Federal de Mobilidade Urbana, que prevê prioridade para o pedestre, transporte coletivo, bicicleta, outros modais, como o hidroviário, e só então os veículos de passeio.

Curiosidade: Você sabe quem foi Fernando Ferrari?

Fernando Ferrari foi um importante economista e político. Nascido na cidade de São Pedro do Sul, no estado do Rio Grande do Sul, em 14 de junho de 1921, além de se dedicar ao estudo da economia, formou-se também em teologia e direito.

Sua carreira política teve início em 1945, quando foi eleito deputado estadual e, cinco anos depois, se tornou deputado federal. Além disso, em 1960 foi candidato a vice-presidente da República.

Faleceu em um grave acidente de avião no ano de 1963 e recebeu diversas homenagens, incluindo a Avenida que recebe seu nome, em Vitória.