“Não senti remorso. Para mim isso é normal”, diz menor que matou adolescente e enterrou no quintal em Nova Venécia

1_menor-1228079“Não senti remorso em nenhum momento. Pra mim isso é normal”. Foi assim, sem arrependimento, que o menor de 14 anos que participou do assassinato do adolescente Gleyciel Cândido Lusquinho, 14, na última segunda-feira (23), em Nova Venécia, reagiu ao confessar o crime.
Veja abaixo entrevista com o menor
Gleyciel foi morto por um grupo de amigos, que em seguida bebeu o sangue da vítima. Além de não demonstrar arrependimento, o menor confessou já ter participado do homicídio de outra pessoa pelo mesmo motivo: ciúmes.
Ele foi levado para o Instituto de Atendimento Sócio Educativo do Espírito Santo (Iases), onde vai ser internado por no máximo três anos.

Execução motivada por ciúmes

Foto: Divulgação / PC

 Divulgação / PC

Gleyciel , 14 anos, foi morto por causa de ciúmes

O menor confirmou a versão da jovem que tramou o crime, Andréia Amaro da Silva, 18, de que a execução foi motivada por ciúmes.

Segundo o menor, Andréia era apaixonada por Gleyciel e não aceitava que ele se relacionasse com outras pessoas.

O menor, por sua vez, participou do crime porque Gleyciel estava se relacionando com a mesma garota que ele gostava e com quem, segundo ele, “ficava”.

Foi Andréia que convidou Gleyciel para uma festa, como pretexto para atrair o adolescente para o local do crime.

No local estavam, além de Andréia, o dono da casa, Jorge Mariano da Silva, 48, o menor de 14 anos e a garota com quem Gleyciel e o menor se relacionavam.

Discussão por causa de dinheiro

Já na casa,enquanto todos bebiam cerveja e cachaça, uma discussão começou entre Gleyciel e Jorge. O homem teria acusado o adolescente de ter roubado R$ 300,00 dele e o ameaçou, dizendo que iria pagar por aquilo.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Em seguida, Jorge pegou um fio de antena parabólica e começou a enforcá-lo, com ajuda de Andréia e do menor. Depois disso, a jovem pegou um martelo e bateu na cabeça de Gleyciel. Os outros envolvidos também acertaram marteladas, até que a vítima desmaiasse.
Antes de morrer o adolescente chamou o nome da garota, pivô do crime. Ao ouvir isso, Andreia deu uma facada na barriga dele. Com o garoto já morto, Jorge abriu o tórax, retirou as vísceras e com um copo, bebeu o sangue da vítima.
Depois de enterrar o corpo no quintal, todos na casa voltaram a beber, exceto a garota com quem Gleyciel se relacionava, que foi embora. A garota, segundo o grupo, não participou do assassinato.
“Fiquei nervoso porque ele mandou beijo para ela”
O menor de 14 anos que participou do homicídio de Gleyciel Cândido Lusquinho, 14, contou detalhes sobre o crime e disse não estar arrependido:

Vocês combinaram de matar Gleyciel?
Andreia me ligou e pediu pra eu encontrar com ela, mas eu não sabia que ela queria matar o Gleyciel. Aí ela perguntou se eu tinha coragem de ajudar a matar e eu disse que tinha. Fomos pra casa do Jorge e aí aconteceu.

Qual o motivo do crime?
Ciúmes. Ele ficou dando em cima da menina que eu estava tendo um relacionamento. Ele começou a mandar beijo pra ela e eu fiquei nervoso.

A sua namorada participou do crime?
Não. Ela não era minha namorada, era minha ficante. Ela sabia o que estava acontecendo, mas ficou na sala e não viu a gente matando ele. Na hora ela não falou nada e foi embora logo depois.

Qual foi sua participação no crime?
Eu ajudei a enforcar e depois dei uma martelada na cabeça dele.
Você bebeu o sangue de Gleyciel?
Eu não bebi, só o “Jorjão”. Eu encostei o copo na boca mas não tive coragem.
Vocês estavam usando drogas?
Não, a gente só estava bebendo cerveja e cachaça.
Depois que vocês mataram Gleyciel, o que fizeram?
A gente cavou um buraco e enterrou ele. Depois voltamos a beber e fomos dormir.
Você está arrependido?
Não senti remorso em nenhum momento.Pra mim isso é normal. Não estou arrependido, mas não faria de novo.