Namoro chegou ao fim? Psicanalista dá dicas de como lidar com a situação

Fim de namoro é uma situação muito difícil e dependendo de como termina o relacionamento, ambas as partes podem sofrer ou apenas uma pessoa passar por momentos de muita dor e demorar a superar o que aconteceu.

Carência, dependência, tristeza, melancolia, medo e depressão podem ser problemas que atingem algumas pessoas que possuem dificuldades em superar o final de um relacionamento.
Mas para passar por cima e voltar à vida normal são necessários alguns cuidados. A psicanalista Taty Ades dá algumas dicas para que ninguém fique sofrendo por um amor que não existe mais.

Veja as dicas:

– Nunca devolver os pertences pessoalmente, isso é só uma desculpa para ver o ex. Melhor entregar para um amigo em comum.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

– A pessoa deverá esquecer as mídias sociais nesse período de “luto”, bisbilhotando só irá aumentar a dor e uma possível paranoia, é preciso ser adulta e seguir adiante, de nada adiantará atitudes que só irão machucá-la.

– Sair com os amigos e amigas, beijar, paquerar, dar risada e se divertir são atitudes importantes para que a autoestima se renove, só é preciso tomar cuidado para não cair no sexo casual logo após o término do namoro e no outro dia ficar mais carente e lembrar do outro. O tempo é o melhor remédio.

– Para as mulheres. Cenas em público são prejudiciais, o homem fica cada vez mais distante. A mulher inteligente diz o que precisa ser dito de forma calma, ela usa o diálogo e não a briga. Não perde a razão e não deixa o homem inverter o jogo. Por mais que isso seja difícil.

Para a psicanalista, o fim do relacionamento não é o fim da vida. As pessoas precisam seguir e abrir o coração e a mente para poderem enxergar que existem pessoas diferentes, boas e que novamente poderá viver um amor. “Deixando para trás tudo aquilo que um dia lhe causou mal, apenas as boas lembranças devem ficar. A superação é difícil para alguns, por isso, a força de vontade e a ajuda dos amigos é essencial para passar por cima desse período”, completa Taty.