Municípios capixabas sem preparo para fortes chuvas, alerta Defesa Civil

Levantamento da Defesa Civil Estadual revela que 52 municípios não possuem coordenadores exclusivamente voltados às demandas das defesas civis municipais. A falta de um coordenador ou a presença de alguém nesta função que esteja acumulando outras atribuições na administração municipal pode resultar em falta de planejamento e, consequentemente, respostas ineficazes em situações de desastres, como afirma o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Edmilton Aguiar.

“Com certeza. Quando não temos uma pessoa treinada, capacitada e sem o dever de casa feito, sobre o que deve ser feito, a resposta a uma situação de desastre será deficitária”, frisou.

Os mais preparados

O período de fortes chuvas se aproxima com a chegada do fim do ano. Dados colhidos pela Defesa Civil Estadual mostram que a quantidade de precipitação no mês de novembro, por exemplo, pode ser 23% a mais do que foi registrado no mesmo período de 2010, segundo estimativas.

Atualmente os municípios mais preparados para responder situações de enxurradas, inundações e deslizamentos com mais eficácia são Aracruz, Serra e Vitória. E isso ocorre justamente por causa do planejamento feito nestes municípios, nos últimos anos, de acordo com coronel Aguiar.

Mapeamento de risco

O governo do Estado pretende mapear a redução de riscos em 17 municípios capixabas. O trabalho deverá ser iniciado até o final deste ano e ficar pronto no segundo semestre de 2013. Todas essas cidades precisaram decretar situação de emergência por conta de inundações e deslizamentos entre os anos de 2000 e 2009, de acordo com a Secretaria de Estado de Saneamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano (Sedurb).

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

“Isso consiste no trabalho de uma equipe multidisciplinar, composta por geólogos, engenheiros, assistentes sociais e outros profissionais que vão até ao município fazem o levantamento das áreas de risco, consultando dados históricos, verificam os parâmetros hidrológicos e no final fórmula um mapa de risco. Agora o trabalho deles não será de fazer o mapa apenas. O contrato prevê ainda o indicativo de quais projetos são necessários para resolver o problema. Isso também está sendo feito neste estudo”, informou coronel Aguiar.

Confira os municípios que serão beneficiados como programa de mapeamento de redução de riscos:  Viana, Guaçuí, Castelo, Alegre, Mimoso do Sul. Afonso Cláudio, Ibatiba. João Neiva, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Bom Jesus do Norte, Domingos Martins, Marechal Floriano, Iconha, Vargem Alta, Rio Novo do Sul e Santa Leopoldina.

Convênio

Dez municípios serão contemplados até o mês de dezembro com um kit de combate a situações de desastres no Estado. O pacote inclui um veículo pick-up 4×4, barco de alumínio, reboque, computador, aparelho GPS, máquina fotográfica e outros equipamentos. O investimento ultrapassa R$ 1,2 milhão.

Os municípios beneficiados são os que mais sofreram com desastres ocasionados por enxurradas e que possuem baixa capacidade econômica de estruturar uma defesa civil municipal. São eles: Vargem Alta, Santa Leopoldina, Guaçuí, Muniz Freire, São José do Calçado, Afonso Cláudio, Alegre, Mimoso do Sul, Marechal Floriano e Ibiraçu.

Para serem beneficiados com todos os equipamentos os municípios terão de assinar um convênio. Este acordo com o governo do Estado definirá critérios como um coordenador de defesa civil municipal exclusivo (ou seja, que não acumule funções no governo municipal), estabelecimento de sede do órgão e realização de concurso público, em no máximo dois anos após o benefício, para pelo menos um cargo de agente de defesa civil.