Motorista sem carteira provoca acidente na BR com um morto e quatro feridos

Um motorista não habilitado – segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) – provocou um acidente grave na BR-101 norte, em Fundão, deixando um morto e quatro feridos. A batida aconteceu por volta das 7 horas da manhã deste domingo (15), no quilômetro 221, e envolveu dois carros e um caminhão.

O motorista do Corsa prata – placas CSE 8263, de Viana -, Silvaney Silva Souza, 19 anos, morreu na hora. Os quatro passageiros do veículo ficaram feridos. De acordo com os policiais da PRF, os irmãos Wesley Montovaneli dos Santos, 21, e Lorraine Montovaneli dos Santos, 17, estavam em estado grave. Já os irmãos Dalvin Luiz Bagatoli Montovaneli, 29, e Paulo Henrique Bagatoli Montovaneli, 26, apresentavam lesões leves. Silvaney era namorado de Lorraine.

O socorro das vítimas foi feito em três ambulâncias do Samu. Os feridos foram levados para o Hospital Dório Silva, em Laranjeiras, Serra. Os bombeiros foram acionados para retirar as vítimas de dentro do carro.

Segundo os policiais Rodoviários Federais, o Corsa seguia em alta velocidade sentido norte do Estado, quando, ao passar por uma curva, o motorista do veículo perdeu o controle da direção, invadiu a contramão, e bateu no caminhão verde do Rio de Janeiro – placas  KZY 5435 -, que viajava sentido Serra.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Com a batida, o Corsa rodou na pista e bateu no Honda Civic preto – placas ODB 8245 de Viana -, que ia para o Norte. O Corsa capotou na rodovia, parando de rodas para cima.

O trânsito na BR ficou totalmente interrompido por uma hora, provocando um engarrafamento de cinco quilômetros para cada lado da pista. A passagem dos veículos foi sendo liberada aos poucos. Ônibus, caminhões e carros de passeio seguiam por um desvio feito no meio, pelos policiais, da BR.

Família seguia para batizado

Cinco pessoas estavam no Honda Civic, que, graças ao cinto de segurança e aos air bags do carro, ninguém ficou ferido. A cabeleireira Ana Lúcia Ribeiro Souza contou que tudo aconteceu muito rápido, em fração de segundos. A família tinha saído de Vila Velha, e estava indo para Linhares, onde participariam de um batizado.

“Estávamos atrás do Corsa quando, de repente, só vi quando pedaços de vidro, de carro, voavam para cima. Parecia que o nosso carro estava dando saltos. Estarmos vivos agora foi um livramento de Deus, que nos deu uma vida nova”, desabafou Ana Lúcia, que estava no carona do Civic.

O Honda era dirigido pelo filho da cabeleireira, o universitário Renan Ribeiro de Souza, 21 anos. Atrás do veículo estava a filha caçula, o marido e um parente de  Ana Lúcia. O impacto da batida foi tão grande, que a marca do cinto de segurança ficou no corpo da filha da cabeleireira.

O motorista e o ajudante que estavam no caminhão também não se machucaram. José Carlos da Silva, 45, era quem conduzia o caminhão, que seguia para Macaé, no Rio de Janeiro. Ele disse que ainda tentou tirar o caminhão da frente do Corsa, mas não conseguiu. Os veículos bateram  na parte da frente, atingindo mais a lateral esquerda.