Morre em Mantenópolis o cineasta Monelzinho Loreno

Nesta madrugada deste sábado, (10), Morreu, aos 56 anos, no hospital de Colatina ES, o cineasta amador Manoel Loreno, de Mantenópolis ES, possivelmente após um AVC, quando teve uma queda em sua residência no bairro Bela Vista de Mantenópolis nesta sexta-feira dia 9.

Manoel ficou famoso e conhecido nacionalmente pela sua iniciativa em criar e dirigir filmes domésticos com pouco ou quase nenhum recurso financeiro, cujo trabalho o projetou nacionalmente, sendo entrevistado por vários canais de tv como da Rede Globo, com Jô Soares e Ana Maria Braga. Deu entrevista também na rede Record, A Gazeta, e interagiu com várias autoridades e celebridades do meio artístico.

Manoel Loreno, mais conhecido como Sô Manelzinho, produzia filmes geralmente inspirados no cotidiano do faroeste americano, mas com sua simplicidade e bom humor, dava um toque leve e divertido às tramas, e no enredo, figuravam artistas e peças improvisadas. Apesar de sua ascensão pública, continuou pobre. Conheceu o estrelato, e chegou onde muitos jamais chegarão. O valor de Manézinho como ser humano, artista e ícone cultural de Mantenópolis foi amplamente explorado, mas não teve o reconhecimento que lhe trouxesse além da fama, melhores condições de vida para si e sua família, que continua em condições de pobreza.

A fama nem sempre é sinônimo de melhora financeira, o que não foi no caso de Manézinho, que acabou perdendo seus figurantes, que até o ameaçaram de reivindicar direitos na justiça, na presunção de que ele estaria ganhando altos cachês com as entrevistas, o que na verdade não ocorreu. E quem o conhece, sabe que é uma pessoa idônea, que nunca teve qualquer tipo de problema que desonrasse seu nome, caráter esse que muitos abastados na sociedade não tem.

Continua depois da Publicidade

Uma crítica aqui do EFoco para a Lei Rounet, que apenas privilegia os já bem abastados, apesar de que a ideia principal seria beneficiar ícones culturais como Manoel Loreno.

Manoel Loreno é analfabeto, e já vindo de uma infância difícil, nunca perdeu o entusiasmo pela vida e pela arte, e seu dia a dia era pautado de nostalgia e alegria de viver.

Manoel Loreno deixa dois filhos e esposa.

Confira algumas entrevistas do Sr. Manoelzinho Loreno