Morre em Barra de São Francisco jovem que foi espancada e estuprada em Vila Paulista

1461111_1414610645440609_858755720_nA jovem Patrícia Pecla de Oliveira foi assassinada em Vila Paulista. Ela foi espancada e estuprada e morreu no hospital Dra. Rita de Cássia, em Barra de São Francisco.

Por volta das 09h00 min deste sábado, 7 de dezembro de 2013, a polícia compareceu no Pronto Socorro de Barra de São Francisco, onde deu entrada a moradora da rua Belo Horizonte em Vila Paulista, Patrícia Pecla de Oliveira.

Patrícia foi encontrada caída dentro de uma valeta e socorrida até sua residência, em Vila Paulista. Em seguida conduzida para o Pronto Socorro de Barra de São Francisco, onde recebeu cuidadosamente o primeiro atendimento médico e informou para os militares de início que havia caído de uma moto, porém, logo após, relatou que havia sido violentamente espancada e estuprada.

A vítima não disse para os militares o nome do agressor, pois foi ameaçada de morte e disse apenas que o autor do fato tinha interesse em namorá-la e ela recusou e devido à recusa, ele ficou revoltado e cometeu o crime.

Policiais civis da delegacia de Barra de São Francisco também compareceram no Pronto Socorro no sábado e a vítima disse que se tratava de um rapaz de aproximadamente 25 anos, que a arrastou pelos cabelos até uma residência de cor branca com varanda que fica em frente a igreja Deus é Amor, em Vila Paulista, onde ocorreu a atrocidade.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Nesta segunda-feira, 9 de dezembro de 2013, Patrícia não resistiu aos ferimentos do espancamento que sofrera e morreu no hospital em Barra de São Francisco. Segundo as informações, ela teve complicações e ficou muito machucada por dentro devido ao espancamento.

1426687_1418044621763878_2128722371_n

A tragédia deixou transtornados os familiares e moradores de Vila Paulista, pois Patrícia era uma menina muito querida na localidade. Na tarde desta segunda-feira, o delegado de polícia Dr. Rodrigo Ventura, que está investigando o caso ouviu duas pessoas (um homem e uma mulher), para obter melhores informações sobre o agressor. O depoimento dessas duas pessoas pode contribuir muito para que a polícia desvende esse crime bárbaro e prenda o assassino.

As declarações das testemunhas estão sendo mantidas em segredos, para não atrapalhar o andamento das investigações.

 
1382383_1384454695122871_106113497_n