Médicos fazem panfletagem para aumentar protesto contra SUS

Médicos que atendem em postos de saúde e hospitais no Espírito Santo suspenderam, nesta terça-feira (25), consultas, exames e pequenas cirurgias, considerados serviços eletivos e não urgentes, realizados por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). O movimento é nacional e ocorre em 22 Estados brasileiros.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

No Hospital das Clínicas, em Maruípe, Vitória, a maioria dos procedimentos foi mantida. A informação é de que somente 10% dos médicos da unidade aderiram ao movimento. De acordo com a Chefia dos Ambulatórios do hospital, apenas o setor de Urologia avisou oficialmente que iria aderir à paralisação. No setor de Reumatologia, por exemplo, os pacientes foram avisados por telefone, nesta segunda-feira (24), sobre os procedimentos que seriam suspensos, que foram remarcados.


Por volta das 8h30 desta terça-feira (25), um grupo de médicos saiu do Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES), em Bento Ferreira, Vitória, para percorrer alguns dos hospitais que realizam atendimento pelo SUS. Segundo ele, a visita era para fazer panfletagem e checar a movimentação neste dia de paralisação dos serviços médicos.

De acordo com o presidente do CRM-ES, Aloísio Faria, o objetivo da paralisação é chamar a atenção para os problemas da saúde pública no Brasil. Segundo ele, a população não será prejudicada pela paralisação, uma vez que “já vem sendo penalizada há muitos anos” pela precariedade dos serviços oferecidos pelo SUS.

Aloísio garante que os serviços de urgência e emergência continuam funcionando normalmente e que a paralisação só atinge os procedimentos eletivos. De acordo com o presidente do CRM-ES, as consultas já agendadas estão sendo remarcadas.