Max Filho: “Meus adversários é que estão me chamando para a briga”

O ex-prefeito de Vila Velha Max Filho vem causando todo um alvoroço após anunciar sua saída do PTB para migrar para o partido do governador do Estado, Renato Casagrande (PSB). A mudança, no entanto, não foi bem aceita entre as lideranças políticas ligadas ao ex-governador do Estado Paulo Hartung (PMDB). Max, no entanto, se diz tranquilo e, em poucas palavras, afirmou que já não existem mais mágoas em relação ao passado. Sobre sua decisão de tentar retornar ao Executivo canela-verde, ele diz que a decisão ainda não está tomada, mas que seus adversários é que estão lhe chamando para a briga.

Confira a entrevista na íntegra:

Folha Vitória: O senhor esperava essa repercussão toda em relação a sua migração para o PSB?

Max Filho: Acho que até certo ponto foi compreensivo, já que já interesses eleitorais imediatos para o ano que vem. Mas fizeram uma tempestade em um copo d’água.

FV: Diante de toda essa repercussão, o senhor acredita num possível recuo do PSB?

MF: Estou tranquilo quanto essa decisão porque essa união já existe de fato. Se a chapa vai ser comigo no PSB ou no PTB é igual a um casamento que vai ser na igreja ou no estágio. Isso não influencia muito.

FV: Por que decidiu deixar o PTB?

MF: Os companheiros me liberaram para fazer esse movimento. Fui convidado por algumas pessoas que julgo serem de Deus. A gente passou considerar essa oportunidade após ouvir os companheiros da base. Depois que decidi deixar o PTB ainda não me reuni com o PSB de Vila Velha. Vou avaliar conjuntamente sem forçar a barra. Não quero me jogar no PSB, vou fazer isso com reflexão e no momento certo.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

FV: O senhor não teme um desgaste antes mesmo de iniciar oficialmente o processo eleitoral?

MF: Ao contrário, acho que me fortaleceu. Sou o cidadão sem mandato mais comentado e não só em Vila Velha. Isso mostrou o desespero de alguns possíveis concorrentes que, talvez, entraram em desespero, em parafuso e acabaram perdendo a compostura.

FV: O senhor vai mesmo disputar a prefeitura de Vila Velha?

MF: Estou sendo escalado pelos adversários. Eles que estão me chamando para a briga. Esse é um assunto que será definido mais para frente. É importante ter um projeto. Posso ser candidato ou apoiar outro nome.

FV: Seus opositores dizem que seu mandato houve atraso em Vila Velha por conflitos políticos. Que avaliação faz sobre isso?

MF: Isso acabou. A prova disso é a aproximação nossa com o PSB. Isso é coisa do passado, temos que olhar agora para frente Esses conflitos já foram superados, o que passou, passou.

FV: Está disposto a acabar com desentendimento com o ex-governador Paulo Hartung?

MF: Como te falei estou olhando para frente. Não houve mágoa. Não se faz política com mágoa.

FV: Já que não há mágoas, pensa em uma reaproximação com Hartung?

MF: Não. Ele não é mais governador. Tenho procurado ter uma boa relação com o governador, não sei como será a posição do PSB em Vitória.

FV: Caso o PSB decida apoiar a possível candidatura de Hartung em Vitória. O senhor subiria no palanque dele?

MF: Na minha avaliação ele não será candidato. Essa questão de palanque está baseada em hipóteses. Acredito que ele não venha.

Fonte: Folha Vitória