Juízes aposentados entusiasmados com volta ao trabalho

Um entusiasmo contagiante, que deu ao presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Pedro Valls Feu Rosa, a certeza de que os objetivos serão alcançados, marcou a apresentação do grupo de 15 juízes aposentados que se ofereceram para, voluntariamente, contribuir com o mutirão que visa à finalização dos processos de improbidade e corrupção nas comarcas do Estado.

Foi um momento histórico, quando os juízes aposentados, sem a menor cerimônia, diante dos jornalistas que participaram da entrevista coletiva nesta segunda-feira, 16 de janeiro, empreenderam uma discussão de qual seria a melhor forma de encaminhar a participação deles tanto na conciliação, nos Juizados Especiais, quanto nas decisões dos processos, nos Juizados Comuns, como assessores especiais dos juízes titulares, voluntariamente.

“Pela primeira vez na história vemos colegas aposentados trabalhando de graça por um ideal e para ajudar na recuperação da imagem do Judiciário, numa atitude de desprendimento e grandeza. E todos demonstram estar jovens de entusiasmo e, diante de tanta animação, não tenho dúvidas de que a agenda prometida à sociedade será atualizada”, disse o presidente do TJ, desembargador Pedro Feu Rosa, que entregou a cada um dos voluntários um diploma de agradecimento.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Foi montada, no Tribunal de Justiça, uma estrutura de cartório para identificar todos os processos de improbidade administrativa e corrupção, que serão encaminhados para finalização, sob a coordenação do juiz Jorge Henrique Valle dos Santos.

Um dos juízes aposentados, Roberto Ribeiro de Castro, disse que saiu da ativa, contra a vontade, pela aposentadoria compulsória (aos 70 anos de idade), mas que durante três anos vem se dedicando, gratuitamente, à Defensoria Pública. Ele era um dos mais entusiasmados com a possibilidade de voltar a atuar. Por sugestão de um dos magistrados, o desembargador Pedro Valls determinou ao juiz Paulino José Lourenço, assessor especial da Presidência, que agilize a criação do Núcleo de Juízes Sênior no Tribunal de Justiça do Espírito Santo.

A participação dos juízes aposentados visa a suprir a deficiência de 80 juízes no Espírito Santo, segundo o presidente do TJ. Situação que começará a se normalizar somente a partir de outubro, já que em setembro será concluído o concurso para novos juízes. “ Vamos ter 50 novos juízes a partir de outubro”, disse Pedro Valls.

Juízes aposentados da força-tarefa

Adrualdo Monte Alto Filho

Clodoaldo de Oliveira Queiroz

Francisco Vicente Finamore Simoni

Ivelize Edineth Chiabai Arpini

João de Deus Alochio

Jocyr de Oliveira Celestino

Luiz Fernando Garcia Marques

Maria Cristina Capanema Ferreira Ribeiro

Roberto Ribeiro de Castro

Sebastião Vieira Rangel

Sílvio Falcão Sperandio

Zaluyar Dias Filho

Laudio Klipel

José Henrique Decontignies

Alfredo Ferreira Pereira

Antonio Marim Machado