Jovem de 18 anos mata o pai com facada no peito em Linhares

Um assassinato chocou os moradores do bairro Movelar, em Linhares, no Norte do Estado. O ajudante de pedreiro João Moreira, de 46 anos, foi morto com uma facada no peito na casa dele, na Rua Vinhático, por volta das 22h dessa segunda-feira (17). O acusado do crime é o próprio filho da vítima, identificado como Jhonatan Souza Moreira, 18 anos. Ele foi preso após mais de cinco horas de negociação.

Vizinhos da família contaram que pai e filho brincavam quando Jhonatan esfaqueou o pai no peito. João Moreira foi socorrido por parentes para um hospital particular do município, mas não resistiu ao ferimento e morreu na unidade.

Após o crime, Jhonatan fugiu de casa e acabou retornando ao imóvel, se refugiando na laje. Viaturas da Polícia Militar de Linhares e do Batalhão de Missões Especiais de Vitória foram até o local e cercaram os dois lados da rua. Duas viaturas do Corpo de Bombeiros também ficaram de prontidão. Mais de 30 policiais passaram a noite tentando convencer o rapaz a se entregar. No entanto, ele resistia à prisão.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Já era depois das cinco horas desta terça-feira (18), quando os militares resolveram agir. Enquanto alguns policiais chamavam a atenção do rapaz, uma outra equipe entrou no imóvel sem que o suspeito percebesse e rendeu o jovem. Os policiais usaram uma bomba de efeito moral e uma arma de choque para dominar o rapaz, que tinha duas facas nas mãos.

Durante toda a ação, a família do jovem estava no imóvel para ajudar a polícia. Jhonatan foi detido e levado para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de Linhares. De acordo com a Polícia Civil, o acusado foi autuado por homicídio e será conduzido a um presídio da região ainda nesta terça-feira. Parentes contaram que Jhonatan e o pai tinham um relacionamento amigável.

Problemas psicológicos

Vizinhos contaram que o suspeito do crime já apresentava problemas de comportamento e estava recebendo cuidados médicos fora de Linhares. Mesmo assim, o pai resolveu buscar o filho para passar o Natal em casa. “Ele voltou de São Paulo e começou a ficar violento. Ele ficava sempre dentro do quintal com um espeto na mão. A gente falava para a família que era perigoso”, contou uma moradora.