Intimidade feminina: interesse masculino faz a diferença na saúde e na relação

A aparência feminina é o que chama a atenção de muitos homens no início de um relacionamento. Mas quando a relação se estabelece, é importante que o parceiro se interesse pela saúde íntima da mulher. Saber que faz bem para ela dormir sem calcinha e fazer xixi após a relação sexual, pode ajudar a evitar infecções e, consequentemente, afetar a vida sexual do casal.

Segundo a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello, basta um descuido para a mulher apresentar uma irritação, ardência e infecção na vagina, refletindo na vida sexual dos dois.

O órgão sexual feminino tem dois canais: o da vagina, parte do aparelho reprodutor, e o da uretra, por onde a mulher urina. Estes canais são pequenos e fáceis de infeccionar, por isto, é muito importante mantê-los higienizados e desobstruídos para preservar a saúde íntima da mulher.

“Recomendo sempre que as mulheres durmam sem calcinha, pois a vagina é um local úmido que precisa de ventilação. No dia a dia, com o uso de calças jeans e roupas sintéticas, não circula ventilação e a vagina fica abafada, facilitando a proliferação de bactérias e fungos”, explica a sexóloga. “A maioria dos homens acha que quando a mulher está indo se deitar sem calcinha é porque quer sexo. Pode até ser. Mas essa atitude também é questão de saúde”, acrescenta.

Não ficar com biquíni molhado, evitar calcinhas apertadas, usar roupas leves, como saias e vestidos, evitar banhos muito quentes, alimentar-se bem e usar sabonetes neutros para higiene íntima, também são dicas importantes para as mulheres. Essas recomendações servem para evitar a candidíase vaginal – um fungo que se prolifera com o excesso de umidade e abafamento do local – e constitui na causa mais frequente de infecção nos genitais, atingindo 75% da população feminina.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

“Ela provoca ardor, coceiras, dor durante a relação sexual e a eliminação do corrimento vaginal. A mulher se sente muito incomodada acarretando em muitos casos na diminuição da vontade de ter relações sexuais”, explica a especialista.

Carla Cecarello lembra que sempre depois de uma relação sexual a mulher precisa fazer xixi, pois o canal da uretra pode ficar obstruído (entupido) com as secreções da lubrificação da própria mulher ou de seu parceiro. Ela indo ao banheiro desobstrui o canal  e corre menos risco de pegar infecções urinárias.

“Muitas mulheres, após o sexo entram no banho ou apenas utilizam lenços umedecidos para higienizar a região, mas esquecem de urinar. Assim, o canal da uretra pode obstruir e o ardor e a dificuldade para urinar começam a incomodar”, informa a sexóloga.

Além desses cuidados, a especialista ressalta que a mulher passa por períodos importantes de sua vida, sempre ligados às taxas hormonais, como a gravidez, pós-parto, menstruação, menopausa, dentre outros. Nestes casos o homem precisa ser mais compreensivo e perceber que a mulher necessita de um parceiro mais afetivo e menos sexual.

“No período de menstruação, a mulher fica mais inchada, com os seios doloridos e mais abalada emocionalmente. O que não quer dizer que ela não quer sexo, mas o homem deve ter mais cuidado ao tocá-la, pois ela está sensível”, conclui Carla Cecarello.

Dicas para sua parceira:

– Usar preservativo na relação sexual para evitar doenças;

– Não lavar a calcinha com sabão em pó e sim com sabão de neutro ou de coco;

– Não lavar a calcinha e deixar no box do banheiro pendurada para secar, pois com a umidade do box, aumenta o risco de proliferação de fungos;

– Usar calcinhas de algodão;

– Evitar calcinhas apertadas;

– Usar roupas adequadas para ventilação da região íntima;

– Não emprestar calcinhas, biquíni ou toalhas;

– Lavar a calcinha adequadamente para evitar proliferação de fungos;

– Evitar absorventes perfumados, pois podem causar alergias;

– Trocar constantemente o absorvente interno, pois pode haver proliferação de bactérias;

– Dar preferência aos papéis higiênicos brancos e sem perfumes. Os coloridos e perfumados podem causar alergias;

– Evitar banho muito quente, pois isso pode irritar a mucosa vaginal;

– Consultar um ginecologista sempre que perceber alguma irregularidade.