Funcionários da Prefeitura de Vitória são presos suspeitos de assassinatos

Dois funcionários da Prefeitura de Vitória foram presos na manhã desta quinta-feira (20) em uma operação da Polícia Civil para cumprimentos de mandados de prisão. Os dois acusados são o segurança Marcos Tadeu Luz, 52 anos, e o encarregado de meio ambiente Arthur Bernardes Nascimento, 45.

Eles são suspeitos de dois assassinatos, ocorridos em 1989 e 2001. Os crimes, segundo a polícia, não têm relação, e o fato de Marcos e Arthur terem serem funcionários da prefeitura é apenas uma coinscidência. Marcos contou à reportagem que trabalha em uma escola no bairro Joana D’arc.

Ele é funcionário efetivo da prefeitura. Já Arthur, é funcionário comissionado. Segundo o delegado Cláudio Vítor, chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o mandado de Marcos é por condenação, já que ele já foi julgado e condenado a cinco anos de prisão. O mandado de Arthur é preventivo, ou seja, ele pode ser solto a critério do juiz. Na casa dele, em Caratoíra, a polícia apreendeu um revólver calibre 32 carregado.

Marcos é acusado de matar um homem em 2001, por causa de ciúmes da mulher. Ele confessa o crime. À reportagem, Marcos contou que no dia do assassinato trabalhou à noite, e aconteceu uma comemoração pelo aniversário da mulher dele na residência do casal, no bairro Santo Antônio, em Vitória.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Pela manhã, quando o acusado voltou do trabalho, encontrou no local um homem de quem não gostava. “O cara disse que ia tomar banho no meu banheiro e dormir na minha cama com a minha mulher. Matei ele a faca dentro da minha casa. Matava ele outra vez”, declarou.

Arthur contou que matou um homem na saída de um baile funk em Santo Antônio, em 1989. “Teve uma briga lá dentro, e na saída matei o cara a tiros, com um revólver calibre 22”, disse. Os dois seriam encaminhados, ainda nesta quinta-feira, para o Centro de Triagem de Viana (CTV).

Prefeitura diz que não foi comunicada pela Justiça

A Prefeitura Municipal de Vitória (PMV) informou, por meio de nota, que a Justiça não comunicou à administração a condenação dos dois servidores. O servidor efetivo Marcus Tadeu Luz, trabalha na prefeitura desde 1982, como agente de suporte operacional. Na sentença condenatória o juiz pode estabelecer a perda de cargo para o servidor efetivo conforme estabelece o artigo 189 do Estatuto do Servidor. A Prefeitura diz que, ao ser notificada, acatará a decisão da Justiça.

Em relação ao comissionado Artur Bernardes do Nascimento, a PMV diz que tomou conhecimento dos fatos através da imprensa e ainda não recebeu nenhuma informação da Justiça em relação aos fatos divulgados.