Folião é assassinado a tiros atrás do trio elétrico, em Guriri

A comemoração de Carnaval virou tragédia. Por um motivo banal, o adolescente Roney Hogênio Castias, 17 anos, foi executado a tiros enquanto se divertia atrás do trio elétrico no balneário de Guriri, em São Mateus, às 0h40 desta terça-feira (21). O tiroteio foi anunciado pelo vocalista da banda que se apresentava e os policiais militares conseguiram prender o acusado do crime.
De acordo com o titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de São Mateus, delegado Janderson Lube, Roney estava com a namorada atrás do trio elétrico, que apresentava o show de uma banda regional, na Avenida Oceano Atlântico. O acusado aproximou-se e disparou cinco vezes contra a vítima, que foi atingida por tiros no pescoço. O jovem ainda foi socorrido por uma ambulância e levado para o Hospital Roberto Silvares, mas morreu antes de dar entrada na unidade.
Após os disparos, o vocalista da banda que se apresentava no trio elétrico anunciou o tiroteio e chamou a polícia. A PM agiu rápido e conseguiu prender Carlos José Santos Dias, 19 anos, que estava com um revólver calibre 32 – com cinco balas deflagradas – e dez papelotes de cocaína. Segundo Lube, o motivo do crime foi que a vítima tinha se negado a emprestar um cigarro de maconha ao acusado no dia anterior ao assassinato.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

O delegado afirma que Carlos José está preso no Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) de São Mateus. “Ele não confessou o crime, mas as provas o incriminam. Ele vai responder pelos crimes de homicídio e tráfico de drogas e, caso seja condenado, pode pegar de cinco a 45 anos de prisão. Ele vai aguardar o julgamento no CDP (Centro de Detenção Provisória) da cidade”, conclui Lube.

O corpo da vítima foi encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Linhares. Conforme Lube, apesar das grande concentração de pessoas no local do tiroteio, mais ninguém foi atingido. A vítima era moradora do balneário de Guriri.