Fique atento aos sinais de alerta em cada fase da criança. Eles dizem muito

A cena é clássica, num corredor do shopping center a criança se joga no chão e começa a fazer chilique. O que os pais devem fazer? Repreender a criança ou deixá-la fazer a pirraça? Chilique, amigo imaginário, agressividade… Pais, podem ficar calmos que essas reações são normais na vida das crianças.

Para a pedagoga Teresa Spinassé, esses sinais são atitudes normais e que toda criança faz. “Porém, os pais não devem achar sempre bonito, e o trabalho deve ser por meio da conversa. O amigo imaginário é normal, algo fantasioso, mas tem um limite”, explica.

Conversa

A economista Elizabeth Merlo viveu sinais de alerta com os dois filhos. Com o Felipe Merlo Dessaune, de 11 anos, viveu a experiência das pequenas mentiras. “Com 10 anos, ele teve a fase das mentiras que descobríamos com facilidade. Conversamos com ele, alertando que aquelas atitudes não eram bacanas e, com isso, ele parou”.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Já com a Grabriela Merlo Dessaune, de 6 anos, o que mas marcou foi a pirraça. “Ela fez em supermercado, shopping e na rua. Eram atitudes de não querer entrar no carro, de sair de perto. Até os 3 anos, ela fez muita pirraça, mas também resolvemos com muita conversa. A gente sentia que ela fazia isso para chamar atenção. Por isso, fomos ficando cada vez mais juntos, inclusive nas brincadeiras”, conta a mãe.

A psicóloga e professora universitária Patrícia Rocco diz que essas atitudes são normais, desde que não se tornem muito recorrente. “Quando foge do que é esperado, os pais devem ficar alerta e tentar entender o que a criança está querendo dizer com aquelas atitudes”, diz.