Fim trágico: Corpos de universitários desaparecidos são encontrados dentro do rio Mucuri na Bahia

Os cinco corpos dos estudantes que seguiam de São Mateus, no norte do Espírito Santo, em direção à cidade de Prado, no litoral sul da Bahia, e desapareceram na última sexta-feira (20), foram encontrados, no início da noite desta terça-feira. O veículo estava debaixo de uma ponte que passa sobre o Rio Mucuri, na Bahia.

A informação foi confirmada em primeira mão no Jornal da TV Vitória, da Record, pelo coronel da Polícia Militar da Bahia e comandante da Companhia em Ações Especializadas em Mata Atlântica (Caema), Ivanildo da Silva. O delegado da Superintendência de Polícia Interior do Espírito Santo, Danilo Bahiense, também confirma a informação.

Segundo o coronel Ivanildo, uma equipe da Polícia Militar identificou o veículo como sendo o dos jovens desaparecidos e, inclusive, um dos corpos, do sexo masculino, já foi resgatado e identificado.

Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal do Espírito Santo está seguindo para o local do possível acidente para auxiliar no resgate dos corpos.

Notícia falsa durante a manhã

Na manhã desta terça-feira, uma informação de um falso acidente foi confirmada inicialmente pela Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp) e divulgada amplamente pela imprensa capixaba e nacional. Horas após a confirmação, o fato foi negado pelas autoridades policiais capixabas e baianas. As buscas continuaram por terra e ar, com a utilização de um helicóptero da Polícia Militar, durante todo o dia.

O desaparecimento

Rosaflor Oliveira Chacon, Amanda Oliveira, Marllonn Amaral, Izadora Ribeiro e Andre Galão estavam em um veículo Fiat Punto de cor bege, com placas ODC-6985, quando desapareceram de forma misteriosa após saírem em viagem rumo a Prado, na Bahia.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

O grupo participaria da festa em comemoração ao aniversário da mãe de Izadora na cidade baiana. “Eles estavam programando essa viagem há uma semana. Era meu aniversário e todos queriam estar lá em Prado, mas infelizmente, a gente aguardou, a hora foi passando, e a gente viu que alguma coisa de errado tinha acontecido”, disse Doralice Ribeiro.

A mãe da universitária Amanda disse que familiares ligaram para os amigos de todos os jovens, mas não conseguiram contato. “Todos os celulares estão fora de área, apesar de todos os meninos terem comunicado que estavam indo às 19 horas na sexta-feira. Todos eles são responsáveis e disseram em casa que sairiam com destino a Prado”, disse Conceição.

Segundo o delegado de São Mateus, Janderson Lube, o grupo teria sido visto pela última vez em um posto de gasolina do distrito de Itabatã, no município de Mucuri, sul da Bahia. Desde o último sábado, parentes dos jovens já faziam buscas, refazendo o mesmo percurso dos jovens.
Celulares desligados

Na segunda-feira, após assumir as investigações do caso, o delegado Danilo Bahiense, superintendente de Polícia do Interior do Espírito Santo, informou que os telefones celulares dos universitários desaparecidos pararam de funcionar quase que simultaneamente, entre os municípios de São Mateus e Pedro Canário, na noite de sexta-feira. “Os telefones pararam de funcionar praticamente ao mesmo tempo”.

Danilo Bahiense disse ainda que a investigação recebeu apoio de dois delegados da Bahia. “Nós fizemos buscas por terra. Nesta terça-feira, vamos passar a contar com o apoio de um helicóptero. É uma área muita extensa, com matas. Por isso, teremos ajuda da aeronave”, salienta o delegado.

O delegado afirmou ainda que o namorado de uma das universitárias desaparecidas prestou depoimento nesta segunda-feira. “Ele não acrescentou nada além daquilo que já havia falado. O rapaz disse que brigou com a namorada, que pediu que ele não fosse à festa em Prado, na Bahia”, finaliza Bahiense.