Família acusa marido de matar mineira nos Estados Unidos

SOBRÁLIA – O corpo da mineira Edinalva Vieira, de 28 anos, chega na sexta-feira (30) à casa da família em Sobrália, no Leste do Estado. A previsão é de que seja sepultado no único cemitério da cidade às 9 horas do sábado (1º). Segundo o taxista Jandir Ferreira da Silva, de 67 anos, a filha morava em Boston (EUA) há seis anos e foi assassinada de forma cruel e premeditada. O principal suspeito, para a família, é o marido dela. Esse é segundo crime passional envolvendo emigrantes da região Leste, em menos de uma semana.

De acordo com informações do Itamaraty, o corpo de Edinalva foi encontrado no dia 21 deste mês, no apartamento onde morava, em Brighton, região de Boston, nos Estados Unidos, e estava em adiantado estado de decomposição. A perícia americana teria comprovado que a morte foi provocada por traumatismo craniano. O corpo apresentava vários sinais de espancamento. A morte, de acordo com a perícia, ocorreu entre 15 e 20 dias antes do corpo ser encontrado. A polícia americana ínvestiga o crime e não havia feito, até esta quinta-feira (29), de acordo com o Itamaraty, nenhum pedido de cooperação ao governo brasileiro.

Segundo familiares da sobraliense, a data do óbito coincide com a viagem do marido dela, Paulo Sérgio Vieira, para o Brasil. “Ele chegou aqui em Sobrália dia 5 de setembro. Contou que tinha vindo embora de vez, e que minha filha havia decidido, de última hora, ficar mais um ano nos Estados Unidos. Achamos estranho demais, principalmente porque não conseguíamos falar com ela no trabalho ou em em casa. Quando a notícia chegou, já esperávamos por isso”, conta o pai.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Edinalva e Paulo eram casados desde 2009 e não tinham filhos. “Fizemos churrasco para comemorar a chegada do Paulo. Não imaginávamos que fosse tão frio. Depois que acharam o corpo não voltou mais aqui em casa, mas está livre por aí. Passa todo dia na porta da minha casa como se tivesse certeza da impunidade. Eu acredito na justiça e ela será feita”, desabafou o taxista.

Segundo Jandir, a suspeita recaiu sobre o genro porque um dia antes de viajar para o Brasil, dia 4 de setembro, ele ligou para o trabalho da filha e avisou ao patrão dela que a esposa estava sentindo-se mal e não iria trabalhar no dia seguinte (5). Na tarde do mesmo dia, voltou a ligar avisando que ela precisaria ficar 15 dias de atestado e não poderia fazer faxinas. Todo o dinheiro que o casal guardava no cofre da casa teria desaparecido.

“Isso não é coincidência, é premeditação. A morte da minha menina acabou com a vida da gente”, desabafou, contando que a esposa, Emília Cândida Ferreira, de 64 anos, está sendo mantida à base de medicamentos. Edinalva era a caçula dos cinco filhos do casal. A previsão é que o corpo dela chegue ao aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, por volta das 8h30 e em Sobrália às 16 horas desta sexta-feira. Será velado na casa dos pais, no Centro de Sobrália. Paulo Sérgio não foi encontrado pela reportagem.

Drama semelhante vive uma família de Frei Inocêncio. O corpo de Patrícia Teixeira Fróis, de 24 anos, morta a facadas dia 26 deste mês, é esperado para a próxima terça-feira, dia 4. O acusado é o ex-companheiro dela, o técnico em contabilidade Marcelo Alves de Almeida, de 41 anos, que segundo familiares, não aceitava a separação. Ele foi preso logo depois do crime com um corte no pescoço. Havia tentado o suicidio, mas segundo familiares, não corre o risco de morrer. O casal morava em Marshfield, estado de Massachusetts (EUA). O dinheiro para o traslado, cerca de US$ 8 mil, está sendo arrecadado entre amigos e familiares, inclusive os residentes nos Estados Unidos, onde o corpo será velado antes de ser trazido para o Brasil.