Dudé admite abrir mão da PMV para fortalecer PT em outros municípios

A candidatura da deputada federal Iriny Lopes (PT) à prefeitura de Vitória está cada vez mais ameaçada. Após encontro da Executiva Regional do partido nesta segunda-feira (7), o presidente estadual da sigla, José Roberto Dudé, admitiu a possibilidade de recuar da disputa em Vitória em troca de uma aliança com o PMDB para fortalecer as candidaturas do partido em outros municípios capixabas.

Durante o encontro, os petistas avaliaram o cenário com a chance do PMDB lançar o ex-governador Paulo Hartung (PMDB) na corrida eleitoral e a possibilidade de indicar um vice na chapa do peemedebista. “O PMDB é um aliado nosso. É da base da presidente Dilma, tem o vice-presidente da República e é o vice do prefeito João Coser. Não tem porque não discutir alianças com eles”.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Segundo Dudé, o partido vai levar em consideração o que Vitória representa para o PT. “Temos um planejamento estratégico no Estado. Para abrir mão de um município nós teríamos que ter um crescimento maior. A Capital é importante para nós, mas temos que pensar nos demais 77 municípios”.

Entre as principais cidades que o partido está de olho nas próximas eleições estão Cariacica, Colatina, Castelo e Cachoeiro de Itapemirim, todas gerenciadas pelo PT atualmente. Além disso, os petistas têm pretensão de disputar 47 prefeituras. “Para isso precisaríamos de alianças com o PMDB”.

Sobre a insatisfação de Iriny declarada em carta contra Hartung, Dudé disse que o PT capixaba não concorda com o teor do relato e que tudo o que foi dito representa uma opinião pessoal da pré-candidata.

“O PT não concorda com essa carta e nem considera Hartung como nosso inimigo. Essa questão da defesa da sua candidatura é legítima, mas quem vai decidir se ela será ou não candidata são os delegados e delegadas do partido. Não sou eu, não é o Coser e nem a Iriny”.