Documentário lembra a disputa do ‘Contestado’ por meio de entrevistas

300contes-1155101Em 1963, com um acordo amigável, o Espírito Santo e Minas Gerais definiram os seus limites territoriais na Região do Contestado, entre os municípios de Barra de São Francisco e Montanha. Antes desse acordo, no entanto, por quase 30 anos a localidade foi uma área de dupla jurisdição, muito insegura e violenta. Esquecidos na história, esses fatos ainda vivem na memória dos moradores locais. É a partir dessa memória que se constrói o documentário “Contestado 50 Anos”, com direção e roteiro de Cloves Mendes e Romulo Musiello.

Realizado em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), o filme será lançado nesta segunda-feira (16), às 20h, no Cine Metrópolis, na Ufes, em Goiabeiras. O documentário tem 30 minutos de duração e reúne depoimentos de personalidades como Maria Antonietta Lindenberg (ex-presidente da Rede Gazeta, falecida no último dia 21 de novembro); Luciano Pereira, prefeito de Barra de São Francisco; Wanderson Elizeu Coelho, prefeito de Mantena.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

A Zona do Contestado era um refúgio predileto para malfeitores vindos de todas as partes do país. Eles escolhiam o lado territorial em que a lei os beneficiava, ficando, desse modo, longe das mãos da justiça. Essa insegurança institucional na região gerou inúmeras provocações, intolerâncias, conflitos e violência.

A fronteira

Estima-se que, guardando a fronteira, havia aproximadamente 1.300 homens com armamento pesado no território defendido por Minas Gerais, e 800 armados e entrincheirados no Espírito Santo.

Um laudo do Exército concluía que a divisa de Minas Gerais com Espírito Santo passava pela Serra dos Aimorés e se fechava entre Itabirinha de Mantena e Mendes Pimentel. De acordo com a avaliação, pertenciam ao Espírito Santo: Mantenópolis, Ametista, Itabirinha de Mantena, Ariranha, Limeira, Boa União e Divino das Palmeiras. O conflito foi criado porque cada um dos estados-membros queria essa terra, e a disputa durou anos. O conflito do contestado foi marcado por disputas pessoais e institucionais e por isso não pode ser caracterizado apenas como uma disputa de coronéis.

Os municípios de Mantena, por Minas Gerais, e Barra de São Francisco, pelo Espírito Santo, foram os protagonistas da Zona do Contestado. Com a assinatura do acordo entre os dois Estados, em 1963, essa história chegou a um final de paz para a região.