DNA vai identificar corpos de casal de idosos e netas mortos em incêndio em Cariacica

Os corpos do casal de idosos e das netas, que morreram em um incêndio, na madrugada do último sábado (21), no bairro Jardim Campo Grande, em Cariacica, vão ter que passar por exames de DNA para identificação. Os corpos ainda não foram liberados do Departamento Médico Legal (DML) de Vitória pelos familiares, por falta de documentação, já que tudo estava dentro do barraco de madeira, destruído pelo fogo.

De acordo com informações de familiares, um filho do casal, que mora na Bahia, deve chegar ainda nesta segunda-feira (23) ao Estado para resolver as questões da liberação dos corpos.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Os peritos da Polícia Civil fizeram a retirada da ossada do local e a encaminharam para análise no setor de antropologia no Departamento Médico Legal (DML). O prazo inicial para entrega do resultado dos exames é de 10 dias, podendo se estender. No caso da realização do examde de DNA, o material também será analisado no laboratório do Departamento de Criminalística.

A tragédia

O barraco onde as famílias estavam pegou fogo na madrugada do último sábado (21). Uma das vítimas, identificada apenas como Laila, a irmã e os avós não tiveram como ser socorridos.

As tábuas do barraco viraram carvão. O fogo também destruiu a geladeira, comprada a prestação, além de móveis e materiais recicláveis que o casal de idosos mantinha para vender. Vizinhos tentaram apagar as chamas e chegaram a ouvir gritos de avós e netas, uma de nove e outra de sete anos de idade.

A família morava na casa de madeira, em  Jardim Campo Grande, Cariacica, há cerca de quatro anos. A área do bairro não conta com rede de energia elétrica e as instalações são clandestinas. De acordo com moradores da região, faltava eletricidade todos os dias quando o incêndio ocorreu. Eles suspeitam que o fogo tenha sido provocado por uma vela esquecida pelo casal.

Em relação ao local, a Prefeitura de Cariacica afirmou que luta há oito anos para acabar com as invasões e os assistentes sociais estão dando todo o apoio necessário à população. A situação da energia elétrica deve ser resolvida direto com a EDP Escelsa.