Demissões no Ciodes e Disque Denúncia deve prejudicar serviço, avisa presidente

ciodes2021210_-115528
Mais de 3 mil ligações feitas diariamente pela população ao Ciodes (190) e Disque Denúncia (181) deixarão de ser atendidas, isso se deve às demissões que podem ocorrer a qualquer momento nos dois setores ligados à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Sesp). Quase 60 funcionários terceirizados serão mandados embora para que a meta de 20% na contenção de gastos seja cumprido pela pasta.
No início deste ano, o Governo do Estado decretou o corte de 20% dos gastos com custeio e pessoal. A contenção já tem causado grandes impactos nas polícias Militar e Civil, pois uma das economias feitas, é o controle no uso de combustível, que provocou a redução no número de viaturas da polícia circulando nas ruas.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado (Sinttel-ES), Nilson Hoffmann, as demissões irão afetar a eficiência da coleta de dados e informações repassadas pela população. “É uma atividade feita a base de muito estresse, os atendentes falam com pessoas desesperadas, que passaram por acidentes, incêndios, assaltos, tiroteios, casas sendo invadidas, já são registrados congestionamentos nas linhas, o quadro atual já é sobrecarregado, e agora quem ficar vai sofrer uma pressão maior ainda”, afirmou.
Hoffmann contou ainda que cada atendente é cobrado a atender no mínimo 100 ligações por dia. “Com essa sobrecarga de trabalho, o atendimento será reduzido e com certeza será passível de erro. Com o acumulo grande de trabalho, os funcionários vão adoecer psicologicamente e ter um maior estresse emocional, sem contar que nem o Estado, nem as empresas, dão nenhum apoio psicológico aos funcionários, o que provoca uma rotatividade grande de pessoas despreparadas para atuar neste trabalho”, disse o presidente do Sinttel-ES.
Para garantir a redução solicitada pelo Governo, somente no Disque Denúncia, 540 chamadas não serão atendidas, pois 13 funcionários devem ser demitidos. Já no Ciodes, serão 2.500 ligações e 45 trabalhadores poderão ser mandados embora.
Segundo o presidente do Sinttel-ES, o sindicato está atento às demissões, pois os trabalhadores são contratados de empresas terceirizadas. No Ciodes a empresa contratada é a Multilimp. Já no call center do Disque Denúncia os empregados são da empresa Inactu.
“Estamos discutindo com as empresas outras alternativas, mas de qualquer forma estamos atentos, pois os funcionários que serão demitidos receberão todos os seus direitos previsto em lei. Mas a nossa esperança é reverter essa situação”, declarou Hoffmann.
A Multilimp informou que a princípio não tem nada confirmado sobre as demissões e que o quadro do efetivo está normal. A Inactu foi procurada, mas até o fechamento da matéria não obtivemos resposta. O mesmo aconteceu com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp).