Defesa de Donati vai tentar tirá-lo da cadeia ainda esta semana e vice deve assumir na segunda-feira

Enquanto aguarda decisão sobre o pedido de habeas corpus do prefeito de Conceição da Barra, Jorge Donati (PSDB), a vice-prefeita do município, Adélia Marchiori (PPS), é quem está respondendo pelo Executivo. A defesa do prefeito espera tirá-lo da cadeia ainda esta semana.

Donati foi preso na última terça-feira (31) ao se apresentar no Quartel da Polícia Militar, em Maruípe. Ele teve a prisão decretada pela Justiça por ser acusado de mandar executar o sindicalista e líder partidário Edson Barcelos. O crime aconteceu há dois anos.

De acordo com o advogado Homero Mafra, responsável pela defesa do tucano, o pedido de liberdade deve ser feito até sexta-feira por um advogado de Brasília. Segundo ele, o pedido de prisão foi uma decisão totalmente descabida por parte do Ministério Público.

“Na verdade ele [Ministério Público] articulou o pedido mais de um mês após a denúncia sem indicar nenhum fato concreto da sua participação no crime ou que tenha ameaçado qualquer testemunha”, disse.

O presidente da Câmara de Conceição da Barra, Ângelo César Figueiredo (PSDB), afirmou que está aguardando sair a decisão sobre o pedido de habeas corpus para decidir se dá posse à vice-prefeitura.

“Estamos agindo com cautela, mas se até sábado o prefeito não conseguir sair da prisão a gente vai dar posse a ela na segunda-feira, às 10 horas”.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), Donati continua preso no Centro de Detenção Provisória (CDP), em Viana, e está dividindo uma cela especial com outro detento. Nesta quarta-feira ele recebeu a visita de advogados. Sua esposa esteve na unidade, mas não pode visitá-lo porque ainda não tinha feito o cadastro de visitantes. Donati está seguindo a rotina normal do presídio e se alimenta seis vezes por dia.

O caso
Edson da Silva Barcellos, secretário do Sindicato dos Servidores Municipais de Conceição da Barra (Sindisbarra) foi assassinado com um tiro na testa. O corpo do sindicalista só foi encontrado no dia seguinte, em uma plantação de eucaliptos.

O ex presidente do DEM no município estava com os pés, as mãos e a boca amarrados com uma fita adesiva e os olhos vedados com o mesmo material. A vítima foi rendida quando tirava o carro da garagem.

Outro crime
Além de ser acusado de executar o sindicalista, o prefeito de Conceição da Barra também já esteve preso ao ser suspeito de participar da morte da mulher, a dona-de-casa Cláudia Soneghete, e a arrumadeira Mauricéia Donato. O crime aconteceu na residência do casal, na Ilha do Frade, em 2003.