Decisão sobre intervenção em Presidente Kennedy só na próxima semana

O pedido de intervenção estadual no município de Presidente Kennedy não foi julgado na sessão do Pleno do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, nesta quinta-feira (28).  Na última semana, o desembargador Adalto Dias Tristão pediu vista do processo e ainda tem prazo para se pronunciar. A intervenção foi requerida há dois meses pelo Ministério Publico Estadual (MPES) motivada pelas suspeitas de ilegalidades reveladas na Operação Lee Oswald, da Polícia Federal.

O advogado do prefeitura do município presente à sessão, Wilson Márcio Depes, informou que o processo não foi julgado porque o desembargador tem 10 dias de prazo após o recebimento em seu gabinete. A previsão do advogado, é que o pedido de intervenção seja julgado na próxima semana.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

No final da sessão no Tribunal do Pleno, procurador Josemar Moreira, pediu ao presidente da Corte, Pedro Valls Feu Rosa, que o processo seja julgado o mais rápido possível devido a relevância que tomou o caso nos últimos meses. O presidente do TJES garantiu que o processo será julgado na próxima quinta-feira (05).

O relator do processo é o desembargador Ney Batista Coutinho, que julgou improcedente o pedido.

O pedido de intervenção estadual aconteceu depois que o prefeito eleito, Reginaldo Quinta (PTB), e outras 27 pessoas foram presos pela Polícia Federal sob suspeita de organização criminosa responsável por direcionar licitações, superfaturar preços, desviar verbas, entre outros crimes. A prisão aconteceu no dia 19 de abril. Na semana seguinte, o vereador Jardeci de Oliveira Terra (PMDB) assumiu a prefeitura interinamente.

Ele acompanhou o início da sessão no Tribunal, mas deixou o local após receber a informação que o julgamento ficou para a próxima semana.

Apesar de preso, a candidatura à reeleição do prefeito Reginaldo Quinta está sendo anunciada pelo partido dele.