Corte de gastos na segurança pode impedir que mil novos militares atuem nas ruas do ES

secom_soldados-27455O corte de gastos implementado pelo governador Paulo Hartung deve impactar novamente a segurança pública do Espírito Santo. Isso porque a formatura de cerca de mil alunos do Curso de Formação de Soldados (CFSD) da Polícia Militar deve ser adiada para novembro deste ano.
Iniciado há seis meses, o curso tinha previsão para se encerrar em julho deste ano. Sem saber ao certo quando irão se formar e com as atividades praticamente finalizadas, os futuros Policiais Militares ficarão aquartelados e até que uma nova data seja definida e a formatura realizada. Um dos motivos desse adiamento é em relação ao salário: enquanto alunos-soldados, eles recebem cerca de R$ 1 mil; já como policiais militares, esse salário subiria para mais de R$ 2,5 mil.
Para um desses alunos do CFSD, que prefere ter o nome preservado, essa economia prevista pelo governo pode prejudicar a segurança dos capixabas e gerar um gasto desnecessário para os cofres públicos. “Mensalmente, esses mil policiais vão gerar um gasto muito grande. Você imagina todos esses soldados que poderiam estar atuando nas ruas ficando quatro meses aquartelados, sendo que o curso está praticamente finalizado”, destacou.
Além da indecisão em relação a data da formatura, as informações desencontradas chegam a atrapalhar o futuro dos alunos-soldados. “Tenho dois amigos que irão se casar em setembro e outubro. Com a indefinição sobre a nossa formatura, acredito que eles terão de cancelar a festa”, relatou um aluno-soldado que estuda em Aracruz, no Norte do Estado.
Só em Aracruz, um dos municípios onde o Centro de Formação e Aperfeiçoamento (CFA) é realizado, estudam cerca de 110 futuros policiais militares. Na sua maioria, os alunos são de outras cidades do Estado e juntos compartilhavam a expectativa de se formarem em menos de dois menos.
Esse tempo a mais que terão de viver longe de suas cidades de origem irá gerar transtornos. “Vai ser difícil ficar além do programado porque a gente já tinha feito uma reserva de dinheiro para ficar aqui (em Aracruz) até julho. Se essa situação se estender ate o fim do ano, não há como ter expectativa de fazer plano nenhum”, desabafou o mesmo aluno-soldado.
Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) informou que ainda não definiu a data do início do estágio operacional e da formatura dos alunos-soldados em curso no Centro de Formação e Aperfeiçoamento da PM. “Assim que o cronograma for finalizado, será dado publicidade por meio do site do Governo do Estado, Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social e da Polícia Militar”, diz trecho da nota.