Colatina quer Ficha Limpa na administração pública

Em Colatina, a iniciativa de implantar o projeto de Ficha Limpa na administração municipal partiu do próprio legislativo colatinense. O vereador Charles Luppi (PSB) (foto) tomou a dianteira e protocolou o projeto de lei que exige ‘ficha limpa’ para comissionados e secretários municipais, inclusive afetando as nomeações dos cargos de assessoria dos próprios vereadores.

A matéria foi protocolada e lida no expediente da sessão da última segunda-feira, 20, informa Charles Luppi ao apresentar o projeto de lei que cria novas regras para contratações no serviço público colatinense. Segundo Charles, o agente público para ser contratado precisa ter o nome limpo na praça, tanto político quanto criminal.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

“O que faz a diferença neste projeto é a exigência de ficha limpa para os vereadores contratar chefe de gabinete, secretário e assessor parlamentar”, disse Luppi. Segundo ele, a matéria deve entrar em pauta para discussão em 15 dias enquanto tramita nas comissões permanentes. A matéria foi lida em clima de suspense na Câmara dos Vereadores na sessão passada, em decorrência do ficha limpa pegar ao legislativo.

Em Marilândia, o vereador Tenório Gomes da Silva (PRT) já encaminhou a Mesa Diretora, o anteprojeto par adotar o Ficha Limpa no município. “Estamos preocupados com isso aqui. Também vou apresentar o projeto que acaba com diárias para vereadores e servidores públicos”, disse Tenório.

Dos 12 municípios da região Noroeste do Espírito, sete não têm perspectiva de levar o Ficha Limpa para contratação de administradores públicos. Em Baixo Guandu, a idéia agradou aos dirigentes da cidade, porém ainda não existe data apresentar um projeto de lei neste sentido. Itarana, Santa Teresa, Itaguaçu, Mantenópolis, Águia Branca, Pancas e São Gabriel da Palha o Ficha Limpa não chegou às repartições públicas.

Por: Nilo Tardin