Choro e revolta durante funeral e enterro do taxista de Mantenópolis

Muito choro e revolta. Foi assim que o velório e enterro do Taxista  Joaquim Noronha Neto, 60 anos, assassinado nesta sexta-feira. Desde desta sexta-feira (04), parentes e amigos começaram a velar o corpo de Joaquim Noronha Neto na 2º Igreja Batista de Mantenópolis, localizada próximo ao posto Ipiranga, Centro. O enterro aconteceu às 18 horas, no cemitério Local.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Da igreja, o corpo seguiu em cortejo fúnebre acompanhado na frente dezenas de Taxista, amigos da maçonaria e centenas de amigos e parentes, até o cemitério local, onde foi enterrado.

Justiça – Durante o velório e até momentos antes do enterro, a população manifestou atra-vez de cartazes a injustiça cometida pelos assassinos. A justiça divina foi bastante ressaltada nos momentos de dores.

O crime –  O taxista Joaquim Noronha Neto, 60 anos, foi morto com golpes de faca. Segundo a perícia, os assassinos deram quatro facadas, uma delas, no coração.

Os ocupantes do veiculo eram Realino Correia Cardoso Junior, 25 anos que cumpria pena por furto no presidio de Barra de São Francisco , e estava de induto de natal, onde o mesmo saiu dia 22/12 e deveria retornar no dia 29 porem Realino não retornou ao presidio de Barra de São Francisco, os outros ocupantes do veiculo eram três menores, um menino de 16 anos e duas meninas de 15 anos sendo que as duas meninas também já tem passagem pela PM por trafico de drogas .