Casagrande garante reforço na segurança com ampliação de videomonitoramento e treinamento para guardas

Nos próximos dias, o Governo do Estado vai apresentar um programa de prevenção e combate à proliferação das drogas. Por enquanto, o Palácio Anchieta não pensa em adotar uma política de internação compulsória de usuários de crack, como ocorre em São Paulo. Primeiro, de acordo com o governador Renato Casagrande (PSB), é preciso desenvolver uma política de abordagem junto com os municípios e estruturar uma rede pública de internação.

“Acho que internação compulsória é algo para ser discutido quando já existe uma política implementada. Após isso é quando existe condição de caminhar para esta direção, no caso daquelas pessoas [dependentes] que não têm vontade própria de receber um tratamento. Por enquanto, neste momento, nós vamos estruturar um trabalho de atendimento às pessoas dependentes. O mais importante agora é o convencimento por meio da abordagem”, afirmou.

Ampliação de videomonitoramento e guarda

O governador foi uma das autoridades presentes no 1º Seminário de Integração de Segurança Pública, realizado na tarde desta quarta-feira (23), na Enseada do Suá, em Vitória. Além do combate e prevenção ao uso de drogas, videomonitoramento e estruturação de Guardas Municipais foram outros dois assuntos discutidos no evento. O evento contou com a presença de prefeitos, oficiais da Polícia Militar, delegados, secretários de Estado e representantes do Ministério Público (MP).

“O município que possui uma Guarda Municipal, que tem condições de contratar agentes, terá ajuda no treinamento e em todo tipo de equipamento para estruturá-la. Nós ainda vamos fornecer câmeras de videomonitoramento e mesas de operação para isso, sendo que a responsabilidade de operação será do município”, explicou.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Integração com Ciodes

As administrações públicas, de aproximadamente 40 prefeituras, receberam bem a intenção do governo em investir nos municípios. O prefeito de Vitória, Luciano Rezende, informou que está em curso um estudo da Procuradoria Municipal com relação a ideia de integrar os sistemas privados de videomonitoramento de estabelecimentos comerciais, empresas e condomínios com a central pública de Vitória.

“São milhares de câmeras que estão instaladas na cidade fazendo um serviço privado. A Procuradoria já está estudando uma forma de estabelecermos uma grande rede de monitoramento. A ideia que que isso, inclusive, pudesse ser integrado ao Ciodes. A ideia é de um grande esforço envolvendo toda a sociedade”, disse.

Efetivo policial

Apesar da proposta do governo em dar suporte à estruturação de Guarda Municipais e de sistemas eletrônicos de vigilância, o prefeito da Serra, Audifax Barcelos, reclamou da defasagem de policiais militares no município dele. Atualmente, a Serra teria um efetivo de 400 policiais militares, segundo Audifax.

“A Serra é hoje a maior cidade do Espírito Santo. Para termos uma ideia, cabem sete cidades de Vitória no município da Serra e nós temos 150 policiais a menos do que a capital. E Vitória tem, pelo menos, 100 mil habitantes a menos e uma extensão territorial muito menor”, reclamou.

O vice-governador Givaldo Vieira (PT) garantiu que haverá uma redistribuição de policiais militares em todos os municípios onde houver demanda. “Ao longo do nosso governo iremos recompor o efetivo policial para oferecer a segurança necessária à população”, garantiu.