Campanha mostra que contar até 10 pode ajudar a diminuir a violência

Conte até 10. Pode ser pouco tempo, mas em momentos de tensão ou em brigas pode evitar assassinatos, discussões de trânsito e até desentendimentos com o vizinhou ou com o companheiro. É com essa ideia que o Ministério Público Estadual (MPES), a Associação Espírito-Santense do Ministério Público (AESMP) e o Governo do Estado adotaram a campanha “Conte até dez. Paz. Essa é a atitude”, lançada nesta sexta-feira (09), em todo o Espírito Santo, com o intuito de reverter os altos índices de violência.

O lema é “A raiva passa. A vida fica” já que muitos cometem crimes por motivos banais ou por impulsos. A proposta é que a pessoa pense antes de tomar qualquer tipo de atitude, tendo paciência em qualquer tipo de situação. Dados recentes mostram que no Estado, de 161 assassinatos, a maioria por motivo fútil.

Segundo o coordenador da campanha no Espírito Santo, o promotor Pedro Ivo de Souza, a campanha será levada para todo o Estado e até para as escolas. “A campanha não terá apelo somente para os jovens, mas para toda sociedade. Todos será convocados para que haja com prudência e reflexão na hora de tomar a decisão”, frisa o promotor.

A Campanha, concebida pela Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp), do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), foi lançada em todo o Brasil nesta quinta-feira (08) e conta com o lutador campeão Anderson Silva como garoto-propaganda.

Líder em mortes de mulheres

Dados divulgados pelo Ministério da Justiça, apontam que o Espírito Santo lidera o ranking brasileiro de mulheres assassinadas, com taxa de 9,4 mortes para cada grupo de 100 mil mulheres. Em relação a crianças e adolescentes, o Estado ocupa a segunda posição na lista nacional de assassinatos de pessoas na faixa etária entre 0 e 19 anos.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

O Mapa da Violência 2012 – Crianças e Adolescentes no Brasil, produzido pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), apontou nesse grupo uma taxa de 33,8 assassinatos por 100 mil habitantes no Estado capixaba. De acordo com o secretário de Estado da Segurança Pública, Henrique Herkenhoff, essa estatística conta, de maneira negativa, com grande participação de cidadãos capixabas.

“Precisamos de entender que a violência deve ser enfrentada. Precisamos desde de pequeno levar paz nas escolas também. Essa é uma campanha que tem uma mensagem muito direcionada para crianças e adolescentes. Ela deixa bem claro, que as artes maciais são um esporte e a violência não é um brinquedo”, ressalta o secretário.

Coral, capoeira e artes marciais

Durante o lançamento da campanha no Palácio Anchieta, em Vitória, várias apresentações de atividades desenvolvidas nas áreas de risco. Inclusive, contou com a participação do coral “Maria, Marias”, formado por detentas do sistema prisional capixaba. Presa há 4 anos por tráfico de drogas, Fabíola Nossa Rocha, 34 anos, aprovou a campanha.

Kelly disse que entrou no crime porque precisava sustentar os três filhos. Hoje, reconhece que cometeu o crime pelo qual foi condenada e um momento de desespero. “Parecem 10 segundos ser pouco, mas é muito. Você pode fazer algo que se arrependerá pelo resto da vida. A pessoa precisa de pensar antes de fazer qualquer coisa, porque faz a diferença”, frisa.

Outra que cumpre pena por tráfico de drogas é Kelly Loila, 32 anos. Ela diz que se tivesse contado até menos de 10 não estava presa. “Se eu tivesse três segundos, acho que não teria cometido. Não estaria tão arrependida por não ter contado até 10. Nesses anos estou privatizada da minha família e da sociedade. Mas, levo para casa estudos e cursos profissionalizantes o que faz me sentir melhor”, disse.

A campanha “Conte até 10. Paz. Essa é a atitude” será levadas paras as ruas em forma de caminhada pela paz, no dia 25 de novembro, em Vitória, e contará com a participação de celebridades.