Campanha de vacinação contra a febre aftosa segue até o dia 30 de novembro

Já está em andamento, em todo o Espírito Santo, a segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, sob a coordenação do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf). Até o dia 30 de novembro, todos os bovinos e bubalinos do Estado devem ser vacinados. O Espírito Santo mantém o status de zona livre de febre aftosa com vacinação, com reconhecimento internacional, há mais de dez anos.

 

Após vacinar o rebanho, o pecuarista deve comparecer ao Idaf do seu município, até o dia 10 de dezembro, levando a nota fiscal da vacina, a ficha de produtor e a declaração de vacinação, além de informar nascimentos e mortes ocorridos desde a última atualização cadastral realizada no Instituto.

 

Segundo o médico veterinário do Idaf, José Dias Porto Junior, a vacinação é a principal forma de prevenção da febre aftosa e é importante a colaboração do produtor para manter a doença longe do gado capixaba.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

 

Orientações ao produtor

 

O produtor deve se lembrar de manter a vacina refrigerada, mas nunca congelada. Além disso, o transporte precisa ser feito em isopor com gelo. Recomenda-se ainda que a vacinação seja feita no horário mais fresco do dia e a agulha seja trocada a cada dez animais. Após a vacinação, as seringas e agulhas devem ser lavadas e, se possível, fervidas, e devem ser guardadas limpas e secas.

 

Febre aftosa

 

A febre aftosa é uma enfermidade provocada por vírus, muito contagiosa e que acomete animais biungulados (de duas unhas). Alguns dos sintomas clínicos da doença são perda de peso, febre, menor eficiência reprodutiva e aparecimento de aftas na boca, focinhos e tetas dos animais.