Cadê o cemitério que estava aqui? O matagal escondeu

Uma breve volta pelo Cemitério Boa Vista, mais conhecido como Cemitério de Maruípe, em Vitória, é suficiente para perceber que o matagal já toma conta de algumas partes do local, chegando a passar por cima de sepulturas. O fato é justamente a principal reclamação de moradores do entorno, que não estão apenas incomodados com os insetos, mas também preocupados com a possibilidade de que doenças sejam espalhadas.

Stephany Pereira, de 19 anos, corta caminho todos os dias pelo cemitério para ir à escola. Ela conta que há tempos o mato não é cortado. Além disso, vasilhas plásticas e outros materiais são jogados no local, principalmente nas baixadas mais próximas às casas. A combinação de fatores abre espaço para a proliferação de mosquitos. “Você passa a mão e sente uma nuvem deles”, reclama a estudante.

Com a esposa grávida, Emércio Pinto de Paula, de 38 anos, teme que os mosquitos aumentem os casos de dengue, de zika e de chikungunya na região. “É preocupante, pois moro em uma rua cheia de crianças. Faz muito tempo que não vejo manutenção”, diz o vendedor.

Continua depois da Publicidade

Powered by WP Bannerize

Já o carreteiro Anderson Fernandes, 40, que mora no local desde que nasceu, afirma que as limpezas geralmente ocorrem em uma data determinada: “Só na época de finados”, queixa-se. No entanto, ele também reclama da insegurança no cemitério. “Já aconteceram assaltos. Tem gente que fecha as portas da capela quando há velório à noite. A situação aqui é realmente de abandono”, constata.

As críticas da população já chegaram à Associação de Moradores de São Cristóvão, bairro no qual o cemitério está situado. A presidente Maria Aparecida Martins Nascimento relata: “A capina é programada, mas quando eles vão capinar novamente o mato já está muito alto. A capela também precisa de reparos. A prioridade é que se capine mais vezes, ainda mais agora, nessa época de chuvas”.

Outro lado

Limpeza será nesta semana

A Secretaria de Serviços (Semse) da Prefeitura de Vitória garante que ainda esta semana uma equipe reforçará a roçagem do cemitério Boa Vista.

De acordo com a pasta, a limpeza é feita regularmente e foi intensificada no final de outubro e no início de novembro, no feriado de Finados. Em dezembro, a retirada do lixo deixado pelos visitantes e a roçagem têm sido feitas de forma rotineira. “No entanto, as chuvas e as altas temperaturas das últimas semanas fizeram com o mato crescesse mais que a média”, alegou.

Sobre a segurança, a prefeituara disse, em nota, que o cemitério conta com dois seguranças por turno.