Cadastro Positivo entra no ar; saiba checar sua pontuação de bom pagador

Lista de bons pagadores vai ser usada por empresas e instituições financeiras para conceder crédito

Resumo da notícia

  • Lista de bons pagadores vai ser usada por empresas e instituições financeiras para conceder crédito
  • Pontuação vai de 0 a 1000 e quanto maior cresce a chance de obter descontos
  • Veja como funcionar o score, que só vai valer para quem autorizar liberação dos dados

Serão liberadas neste sábado (11) as consultas ao cadastro positivo, um sistema que considera o pagamento de contas em dia e dá nota ao consumidor, dizendo se é um bom pagador ou não. É o contrário do cadastro negativo, mais conhecido. Com esses dados, segundo o governo, empresas e bancos podem oferecer crédito com juros mais baixos porque terão menos risco.

Veja abaixo como vai funcionar o cadastro positivo para decidir se vale a pena ou não entrar no sistema.

Bancos estão avisando os clientes

São quatro as empresas autorizadas a receber e repassar as informações do cadastro positivo: Serasa Experian, SPC Brasil, Boa Vista oiu Quod. São chamadas de birôs de crédito.

Os dados foram enviados por bancos e operadoras de cartão de crédito. Segundo determinou a lei, essas empresas deveriam avisar o consumidor —por SMS, email ou carta— que ele terá seus dados compartilhados. Se em 60 dias o cidadão não pedisse para sair do cadastro positivo, suas informações poderiam ser abertas para consulta. Esse prazo vence neste sábado (11).

O processo está em andamento. Se você não recebeu esse comunicado de seu banco, por exemplo, é porque deve estar na fila.

Cadastro mostra quem é bom pagador

Até hoje, a pessoa que busca crédito ou quer parcelar uma compra tem o seu pedido autorizado ou negado conforme o chamado histórico negativo, ou seja, se tem o nome sujo ou não. A loja ou banco contrata um serviço de um birô para checar quem está com atrasos, e daí libera ou não o negócio.

Essa avaliação é muito genérica e deixa muitos pontos cegos. Por exemplo: o consumidor que sempre quitou os compromissos até antes do vencimento não tem um status especial. Ou a pessoa que sempre foi pontual com os boletos, mas, por um motivo bem pontual, um problema de saúde ou porque emprestou o nome para um terceiro, foi protestada.

Score: bom pagador terá pontuação alta

Com o cadastro positivo, cada birô de crédito vai criar um sistema de pontos: pagou em dia, ganha pontos; atrasou, perde pontos. Outras informações vão entrar nesse indicador, chamado de score. Por exemplo, quantidade de negócios que a pessoa faz, sua idade, tempo de trabalho etc..

Cada birô de crédito vai criar seu próprio sistema de pontos. Na Serasa Experian e no SPC Brasil, a pontuação vai de 0, o pior dos mundos, até 1.000, o máximo que um bom pagador pode conseguir.

Esse indicador será atualizado a cada semana, para manter o score o mais fiel possível da realidade de cada consumidor. “Como o sistema vai ser atualizado sempre, a tendência é que, com o passar do tempo, os dados positivos sejam cada vez mais relevantes no Score”, disse o gerente de cadastro positivo do SPC Brasil, Vilásio Pereira.

Uma pessoa pode aderir ao sistema e, caso queira, pedir para sair depois. Nesse caso, vai começar tudo novamente, e aquele período que ficou vazio na pontuação do consumidor pode ser mal avaliado por quem vai conceder o crédito.

Continua depois da Publicidade

Da mesma forma, pessoas que nunca contrataram crédito, como jovens que estão chegando agora ao mercado de trabalho, terão um início mais difícil para formar seu score.

Quem tem acesso aos dados

As informações de pessoa ou empresas no cadastro positivo poderão ser acessadas por qualquer empresa ou banco que contrate os serviços dos birôs autorizados pelo Banco Central.

Além disso, cada um poderá acompanhar como está seu score. Basta acessar o site dos birôs, preencher um cadastro e criar uma senha de acesso. Também pode checar o histórico de pagamentos ali registrado, as contas que estão em aberto e o comportamento em termos de pontualidade e práticas de consumo ao longo do tempo.

Mais para frente, conta de luz e celular

Nessa primeira etapa do cadastro positivo, entram as informações dos consumidores nas transações com bancos e alguns grandes varejistas que têm operações financeiras, como as redes que têm cartões de crédito, por exemplo.

Segundo a diretora de Operações e Dados da Serasa Experian, Leila Martins, as empresas concessionárias de serviços públicos, como empresas de gás e luz, serão as próximas a entrar na base de dados do cadastro positivo. Depois, entrarão no sistema os dados de outras áreas de consumo, como telefonia, saúde e educação.

O objetivo, afirma ela, é que em um certo momento todas as transações econômicas feitas por uma pessoa ou empresa contem para o sistema de pontos.

Como consultar sua nota

O consumidor que recebeu a notificação de inclusão já pode consultar sua nota e histórico financeiro nos sites dos birôs de crétido autorizados pelo Banco Central (Boa Vista, Quod, Serasa e SPC). Para isso, é preciso fazer um cadastro com e-mail e senha, e aceitar um termo de compromisso.

Quem não quiser ter os dados no cadastro pode pedir a retirada gratuitamente a qualquer momento em qualquer um dos birôs de créditos – os demais serão comunicados automaticamente.

Por enquanto, o mercado poderá consultar cinco tipos de informações sobre o consumidor:

  • nota de crédito (score), utilizada pelas empresas para avaliar a capacidade de pagar o empréstimo;
  • índice de pontualidade de pagamento (quantidade de contas quitadas, vencidas ou canceladas);
  • índice de comportamento de gastos (principais gastos categorizados por tipo de crédito, como cartão, empréstimos, financiamentos, contas de consumo e outros);
  • quantidade de consultas que o CPF do consumidor tem, categorizada por segmento de empresas;
  • histórico consolidado de compromissos assumidos (que inclui valores e datas de pagamento de faturas de cartão de crédito, crediário, financiamentos e empréstimos, por exemplo), desde que tenha havido consentimento do consumidor.

As consultas só poderão ser feitas por empresas nas quais o consumidor buscar crédito.

Não podem ser acessados:

  • quais bens o consumidor comprou;
  • nome da instituição na qual ele tomou empréstimo;
  • informações de saldo em conta corrente ou investimentos.
  • Essas informações não serão enviadas nem mesmo aos gestores do banco de dados.

A Serasa vai permitir os acessos já neste sábado. O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) vai disponibilizar as consultas somente a partir da próxima quarta (15).

Veja os contatos dos birôs de crédito

  • Boa Vista: 3003-0101 ou www.consumidorpositivo.com.br
  • Serasa Experian: 0800 776 6606 ou www.serasaconsumidor.com.br
  • SPC Brasil: 0800-887-9105 ou https://www.spcbrasil.org.br
  • Quod: 3003-7863 ou http://quod.com.br

Fonte: Uol